E. C. Vitória

Remendado, Leão tenta bater o Galo, que é o segundo pior mandante

Como visitante, o Leão conquistou 65% dos seus pontos - somou 17 de 26

Fernanda Varela (fernanda.varela@redebahia.com.br)

Haja problema. O técnico Vagner Mancini tirou leite de pedra para escalar os 11 jogadores que enfrentarão o Atlético Mineiro, neste domingo (24), às 19h, no Independência, em Belo Horizonte. No sábado (23), o goleiro Fernando Miguel foi vetado de última hora após sentir dor na sola do pé. O goleiro foi diagnosticado com fascite plantar e será substituído por Caíque. Wallace foi chamado para compor o banco de reservas.

Se o problema fosse apenas a ausência do goleiro, tudo bem. Mas o Leão terá muitos desfalques para encarar o Galo. Os laterais titulares, Caíque Sá e Juninho, machucados, não jogam. Patric e Cleiton Xavier, suspensos, também estão fora. Já o volante Willian Farias segue no departamento médico. As boas notícias são que Yago conseguiu efeito suspensivo e pode atuar, além do retorno do volante José Welison, que não joga desde abril, quando passou por cirurgia. Ele ficará no banco.

Apesar do cenário pouco favorável, um alento. Quando o Vitória voa para longe do Barradão, um alívio toma conta da torcida rubro-negra. Afinal, foi como visitante que o time conquistou a maioria (65%) dos seus pontos no Brasileirão. Fora de Salvador, o Leão somou 17 dos seus 26 pontos.

(Reprodução: Maurícia da Matta/ E.C. Vitória)

Não à toa, o time é o 4º melhor visitante da Série A, com campanha inferior apenas à do líder Corinthians, do vice-líder Grêmio e do adversário de hoje. Nos 11 jogos que fez fora de casa, o Vitória venceu cinco, empatou dois e perdeu quatro, o que rende 51,5% de aproveitamento. Em casa, foram 13 jogos (dois a mais) e só nove pontos. É o pior mandante: 23,1% de aproveitamento.

Galo está mal em casa

Mais boas notícias. Se o Atlético pode tirar onda fora de casa, assim como o Vitória, ele é um dos piores mandantes da Série A. O Galo tem a segunda pior campanha dentro de casa, à frente apenas do rubro-negro. Nos 12 jogos que disputou em Minas Gerais, o alvinegro venceu apenas três, empatou três e perdeu seis. O aproveitamento é de 33,3%.

Tradicionalmente forte no Independência, o Galo vive situação parecida com a do Leão. “O Atlético vive um momento um pouco diferente desses últimos anos, onde ele foi mortal no Independência. Não quer dizer que, pela falta de gols, ele não pode voltar a encaixar a equipe. Eles têm atacantes diferenciados, então quando você enfrenta um adversário com esses atletas, tem que saber que não pode dar chance. Nos últimos jogos, nossa equipe errou defensivamente”, avalia Mancini.

Os números confirmam as palavras do treinador e estendem a dificuldade para além do Independência. Desde 1971, Vitória e Atlético se enfrentaram 22 vezes em Minas e em apenas duas vezes, em 1999 e 2010, o rubro-negro conseguiu vencer. Foram seis empates entre as equipes e 14 triunfos alvinegros. 

O Vitória é o vice-lanterna da Série A. Para sair da zona, precisa vencer e secar Avaí, Bahia, São Paulo e Coritiba, além de ficar de olho no confronto direto entre Chapecoense e Ponte Preta.


Provável escalação

O provável time é Fernando Miguel; Ramon (Yago), Kanu, Wallace e Geferson (Bruno Bispo); Fillipe Soutto (Ramon), Uillian Correia, David e Neilton; Kieza e Tréllez.