E. C. Vitória

Vitória estreia neste domingo (21) no Baianão, contra a Juazeirense

Rubro-negro está em busca do tricampeonato estadual

Fernanda Varela, do Correio 24 horas (fernanda.varela@redebahia.com.br)

Ele está de volta. O Campeonato Baiano começa neste domingo (21) e, às 18h30, o Vitória entra em campo para encarar a Juazeirense, no Barradão, e iniciar a luta pelo tricampeonato. Na preliminar, Atlântico e Vitória da Conquista se enfrentam às 16h. O ingresso custa R$ 30 (arquibancada) / R$ 50 (cadeira) e dá direito a assistir aos dois jogos.

Leão estreia hoje no Campeonato Baiano (Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória)

Dono de 29 títulos estaduais, o Leão nem cogita fazer feio em casa. Além de querer começar com pé direito, o clube precisa apagar a imagem negativa que deixou para o torcedor no ano passado. Encerrou 2017 com dez derrotas em 32 jogos disputados no Barradão.

Na Toca do Leão desde meados de 2016, Kanu pode comemorar seu segundo título estadual e promete outra postura do time diante do torcedor. “O ano de 2017 já passou, estamos em 2018. Vamos jogar em casa, com nosso torcedor. Temos que mostrar nossa cara, quem manda aqui”, diz.

Antes mesmo da bola rolar, o Vitória já cobiça a taça. Atual bicampeão estadual, o Leão disputa a hegemonia da década com o rival Bahia. Nas sete edições desde 2011, foram três títulos rubro-negros (2013, 2016 e 2017), três tricolores (2012, 2014 e 2015) e um do Bahia de Feira (2011).

Dez clubes disputam o troféu. Além dos três campeões da década, entram na briga Atlântico, Fluminense de Feira, Jacobina, Jacuipense, Juazeirense, Vitória da Conquista e Jequié, promovido da segunda divisão.

A rodada de abertura terá quatro partidas. Antes do Leão, às 16h, jogam Bahia de Feira x Bahia, Atlântico x Vitória da Conquista e Jacobina x Jequié. Após nove rodadas em turno único, os quatro melhores irão para as semifinais. A final será disputada nos dias 1º e 8 de abril.

Kanu está empolgado com a perspectiva de conseguir o tricampeonato para o clube. “Campeonato Baiano, o objetivo do clube é ser campeão. Estamos montando equipe competitiva, só depende da gente. Todos os jogadores só conseguem botar nome na história com títulos, com conquistas. A gente tem como objetivo ser campeão. Temos que pensar jogo a jogo”.

Escalação sem rodízio

Como o elenco é reduzido, com 21 jogadores aptos no momento, o técnico Vagner Mancini não fará rodízio de atletas entre o Baiano e o Nordestão. O que tem um lado bom. O Vitória foi campeão das duas últimas edições graças à vantagem de atuar por dois empates, ambas em decisão contra o Bahia. 

“Somos funcionários do clube, temos que jogar, independente dos jogos um em cima do outro. Temos que encarar como final, como se fosse o último. Claro que cansa, mas temos que dar o máximo”, afirma Kanu.

Apesar de desejar poupar atletas quando mais reforços chegarem, Mancini avisa: o Baiano é importante. “Tem muita importância para o torcedor. Nós temos um arquirrival, o torcedor não quer ver o seu time ser derrotado e perder o estadual. Tem importância, sim, porque, no início do ano, faz com que você possa abrilhantar o estado com Bahia e Vitória jogando em várias cidades. Mas não deixa de ser desgastante”, pondera o treinador, que mandará a campo o mesmo time que venceu o Globo por 2x1, terça, pelo regional.

O Leão será formado por Fernando Miguel, Lucas, Kanu, Wallace e Bryan; Uillian Correia, Fillipe Soutto, Yago e Kieza; Neilton e Tréllez. O lateral-esquerdo Juninho está recuperado de contusão e Denilson, regularizado, também está à disposição.