E. C. Vitória

Vitória nega ordem da diretoria para jogador ser expulso

Clube emitiu comunicado no qual lamenta os incidentes e promete punição aos atletas; leitura labial de Mancini não é citada

Redação Correio 24 horas
- Atualizada em

O Vitória emitiu uma nota oficial na tarde desta segunda-feira (19), após os incidentes no Ba-Vi do dia anterior, no Barradão. No posicionamento, o clube "reforça que não houve ordem ou orientação aos atletas por parte da direção para que houvessem expulsões suficientes para que a partida fosse encerrada pelo árbitro do jogo".

Expulsão do zagueiro Bruno (centro) acabou o BaVi aos 34 minutos do 2º tempo (Arisson Marinho / CORREIO)

O Vitória também afirma que os atletas envolvidos serão punidos internamente e que "os atos de violência não estão de acordo com os valores da instituição", além de lamentar a postura do meia Vinícius, do Bahia, que, na visão da diretoria rubro-negra, "incitou a violência antes do clássico" através de publicações em redes sociais.

A nota não faz menção ao técnico Vagner Mancini, que, de acordo com um especialista consultado pela programada Globo Esporte, da TV Bahia, autorizou a expulsão do zagueiro Bruno, que deu fim ao clássico aos 34 minutos do segundo tempo por falta de jogadores do Vitória, que ficou com apenas seis em campo.

Leia abaixo, na íntegra, o comunicado divulgado pelo Vitória:

"O Esporte Clube Vitória lamenta profundamente os incidentes ocorridos no clássico BaVi deste domingo (18), no Barradão. O futebol baiano vive um processo irreversível de profissionalização na gestão dos clubes e a briga generalizada, que marcou a partida válida pela sexta rodada do Campeonato Baiano 2018, é oposta a tudo o que o clube tem implementado desde dezembro de 2017.

Informamos que os atletas envolvidos nos incidentes ocorridos no início do segundo tempo do jogo já foram notificados e serão punidos internamente pelo Esporte Clube Vitória. Os atos de violência não são justificados e não estão de acordo com os valores da instituição. O clube aproveita o ensejo para lamentar postura e atitudes do atleta Vinícius, do Esporte Clube Bahia. O jogador irresponsavelmente incitou a violência antes do clássico, por meio de ofensas nas redes sociais, e durante o jogo, com gestos obscenos na comemoração de um gol.

Os atletas profissionais dos dois maiores clubes do estado deveriam servir de exemplo e o Vitória insistirá em ações e palestras internas para que seus representantes tenham condutas alinhadas aos valores da nossa instituição.

O clube acrescenta que o seu departamento jurídico está tomando todas as providências cabíveis e necessárias à preservação e defesa dos interesses do Esporte Clube Vitória, principalmente nas esferas da Federação Bahiana de Futebol e TJD-BA, incluindo todo o suporte aos atletas envolvidos no episódio.

O Esporte Clube Vitória reforça que não houve ordem ou orientação aos atletas por parte da direção para que houvessem expulsões suficientes para que a partida fosse encerrada pelo árbitro do jogo. Nos seus 119 anos de vida, o Esporte Clube Vitória sempre foi referência de esportividade, fair play e ética, e jamais fugiu à luta em qualquer competição na sua centenária e vitoriosa história".