E. C. Vitória

Vitória tem melhor campanha longe do seu torcedor

O desempenho geral na Série A, como mandante, é pífio

Fernanda Varela, do Correio 24h
Não é preciso voltar muito no tempo para lembrar que o Vitória sempre chamou atenção pela força que mostrava ter dentro do Barradão. Ainda este ano, nas competições anteriores ao Brasileirão, por exemplo, o Leão fez valer uma soberania em seus domínios.
Neilton é uma das apostas de gol sábado, contra o Cruzeiro (Foto: Moysés Suzart/EC Vitória)
O ano começou bem. No Campeonato Baiano, foram disputados sete jogos no Barradão, com seis triunfos do rubro-negro e um empate, com total de 22 gols feitos e apenas um sofrido. O aproveitamento foi superior a 90% e rendeu à equipe o título estadual. 
Na Copa do Nordeste, time invicto e campanha impecável em casa. Cinco jogos feitos e os cinco vencidos: 100% de aproveitamento, com nove bolas na rede a favor e três contra. 
Em âmbito nacional, veio a primeira derrota em casa no ano, em abril, contra o Paraná, pela Copa do Brasil. O Leão caiu na quarta fase da competição. Fez três jogos em casa, ganhou dois e perdeu apenas esse, contra o time paranaense, que o eliminou. Fez e levou quatro gols.
Foi quando as dificuldades começaram a surgir. No Campeonato Brasileiro, a força do elenco parece ter sumido ao pisar no gramado do Barradão. No estádio, foram nove jogos, com cinco derrotas, dois empates e apenas duas vitórias. Dos 21 gols que tem na competição, fez apenas 10 diante do seu torcedor e, dos 31 sofridos, 14 foram lá. Antes disso, fez suas duas primeiras partidas como mandante na Fonte Nova e perdeu ambas por 1x0, para Corinthians e Coritiba. 
O desempenho geral na Série A, como mandante, é pífio: dos 33 pontos disputados, só conquistou oito, um aproveitamento de 24,4%. Não à toa o rubro-negro é o pior da competição neste quesito.
Outra cara
É triste dizer, mas longe do torcedor, o Vitória tem conseguido resultados muito melhores. No Brasileirão, a campanha não é das piores. Dos 20 clubes da primeira divisão, o time treinado por Vagner Mancini tem a 10ª melhor campanha. Ao todo, disputou nove partidas na casa dos outros times: venceu três, empatou duas e perdeu quatro. O desempenho é de 41%, quase o dobro dos 24 conquistados em seus domínios.
Sem a pressão das arquibancadas, foram 11 gols feitos, um a mais do que conseguiu marcar em casa. Em relação aos sofridos, parece não haver diferença entre jogar no Barradão ou em outro estádio. Se como mandante o time sofreu 14 gols, como visitante viu a bola entrar no gol  pelas mesmas 14 vezes.
Desde quando Mancini assumiu o time, na 17ª rodada, o Vitória ainda não perdeu fora de casa. Empatou com o Cruzeiro por 0x0, no Mineirão, e venceu o Flamengo por 2x0, na Ilha do Urubu.
Ponta de esperança para quem terá dois jogos seguidos fora de casa. Primeiro o Corinthians, sábado (19), e depois o Coritiba, no dia 28. “O jogo contra o Avaí era importante, queríamos vencer dentro de casa e começar o segundo turno pontuando, mas não foi possível. Não podemos lamentar, ficar questionando o que aconteceu. Temos dois jogos fora e totais condições. Já provamos que tivemos ótimas atuações fora de casa”, analisa o volante Uillian Correia.
Histórico em 2017
No Baiano, o Leão fez sete jogos como visitante, venceu cinco e empatou dois, com 12 gols feitos e cinco sofridos. Na Copa do Nordeste, foi mais equilibrado. Dos cinco jogos na casa dos adversários, ganhou dois, empatou um e perdeu outros dois, com sete gols feitos e nove sofridos. Pela Copa do Brasil, venceu o Luziânia por 2x0, empatou com Vasco (1x1) e Paraná (0x0).