E. C. Vitória

Vitória tem o terceiro pior ataque entre as equipes do Campeonato Brasileiro

Rubro-negro também não figura entre as melhores defesas e é melhor que apenas seis clubes

Fernanda Varela, do Correio 24h

Quando um time tira o torcedor do sério com a grande quantidade de gols perdidos, é sinal que a pontaria não anda em dia. No clássico Ba-Vi, que terminou empatado por 0x0, domingo, essa deficiência no elenco rubro-negro ficou ainda mais evidente.

O Vitória tem o terceiro pior ataque do Campeonato Brasileiro, com apenas nove gols marcados. O time do técnico Alexandre Gallo só consegue ser melhor que o vice-lanterna, Atlético Goianiense, que fez oito gols, e o lanterninha Avaí, que balançou as redes cinco vezes.

 Com ausência de Kieza, machucado, André Lima passa a ser uma das apostas de gol do time 
(Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória)

Um agravante: o artilheiro do Leão é o atacante Kieza, com três gols. O problema é que o jogador se machucou no Ba-Vi, após cair sobre o ombro. Diagnosticado com uma luxação, ele foi submetido a uma cirurgia na segunda-feira (3) e ficará de três a quatro meses sem entrar em campo. O camisa 9 é também o artilheiro do Vitória na temporada, com 12 gols.

Com a ausência de K9, a esperança de gols recai em André Lima, vice-artilheiro da equipe, com 11 gols. No Brasileirão, no entanto, ele tem apenas um gol, já que era reserva e só atuou em quatro das 11 partidas. André Lima recuperou a titularidade no clássico e teve boa atuação.

Os outros atletas que já marcaram na Série A foram Neilton, Gabriel Xavier, Uillian Correia, Kanu e Fred, todos com apenas um gol.

Além do terceiro pior ataque, o Vitória é dono da sexta pior defesa, ao lado do Atlético-PR, ambos com 15 gols sofridos. Pior, apenas Sport e Fluminense, ambos com 16 gols, Atlético-GO, com 18, Chapecoense, com 19, e o Vasco, time mais vazado, com 22 gols sofridos.

Ainda em processo de formação de uma base do time titular, Gallo deve precisar fazer ajustes no time para que o Leão deixe a incômoda 18ª posição na tabela e saia da zona de rebaixamento. 

Mexer no time, no entanto, não deve ser um grande esforço para Alexandre Gallo. O treinador, que domingo passado chegou ao seu sétimo jogo à frente do rubro-negro, ainda não repetiu a escalação em nenhuma das partidas.

Uma das mudanças já está confirmada. Geferson recebeu o terceiro cartão amarelo no clássico Ba-Vi e está fora do próximo jogo do Leão no Brasileiro, contra o Atlético-GO, sábado. O jogo será às 16h, no Estádio Olímpico, em Goiânia.

O provável substituto para a partida é Thallyson, que era titular logo quando Gallo assumiu e perdeu a posição após falhas seguidas. Outra alternativa menos provável é Euller. Ele, no entanto, ainda não foi utilizado pelo técnico.