Empregos

De trainee a líder: pelo menos mil vagas em processos seletivos estão abertas

Empresas aumentam vagas de programas que formam lideranças; a remuneração inicial pode chegar a R$ 6 mil

Maryanna Nascimento, do Correio 24h
Conseguir um trabalho ao fim da graduação, receber bem, conhecer vários setores da empresa e ainda ter a oportunidade de crescimento. Todas essas definições podem ser sinônimo da palavra ‘trainee’. A oportunidade, disputada pelos recém-formados, está em alta neste segundo semestre. São pelos menos mil vagas espalhadas pelo país. Na Bahia, empresas como a Ambev, a KPMG e o Santander estão aceitando inscrições. A remuneração inicial pode chegar a R$ 6 mil.

Foto: Divulgação
 
Há três anos, quem concorria a uma dessas vagas era  Luana Itaparica, hoje com 27. Em uma aula ela ouviu falar sobre a KPMG - empresa internacional que oferece serviços na área de auditoria e tributos. Curiosa, pesquisou mais sobre a empresa e descobriu que tinham coisas em comum. “Ao saber da sua cultura de meritocracia e de treinamento avançado dos profissionais da firma, decidi participar do processo seletivo para trainee”, relembra. Hoje ela assume o posto de assistente de auditoria e revela que “o aprendizado é diário e a rotina é dinâmica, aprendemos coisas novas todos os dias”.
Para Luciana Guedes Pinto, sócia-diretora da Trajeto RH que já atuou com avaliação de trainees, é preciso de dedicação para se submeter ao processo. Para se destacar, ela chama atenção para as experiências. “Para a gente, o que vale é a complexidade daquilo que a pessoa viveu. Uma mudança marcante de cidade, interações e projetos. Não precisa de experiência profissional, mas de vida”, afirma.
Rafael Maldonado, 29, também teve uma experiência de trainee. Hoje, com seis anos e meio de Ambev -  companhia de bebidas da América - ele já passou por três mudanças de cidade e assumiu um cargo de liderança, como gerente regional de marketing. Quando se recorda do seu processo seletivo, ele enfatiza que se deve ir além do “querer ser trainee” e realmente se interessar pela empresa. “É como um namoro. Se você se identifica e a empresa também, há um relacionamento”, compara.  

Como se dar bem
 Escolha da empresa   Escolher a empresa é o primeiro passo para se dar bem. Em vez de atirar para todos os lados, o ideal é escolher aquela que tem perfil semelhante ao seu.
Ficha de inscrição  A primeira etapa geralmente é a ficha de inscrição online. O candidato deve fazer com calma e muita atenção, pois existem perguntas-chave para filtrar os candidatos, inclusive data de conclusão do curso.
Dinâmica Durante a dinâmica presencial não vale ficar calado. Esse é o momento de mostrar proatividade e capacidade de trabalhar em grupo.
Entrevista Na entrevista com os diretores é o momento de mostrar por que você quer entrar naquela empresa. Não minta e, se ficar ansioso, respire. Não há problema em confessar que está nervoso, mas também é preciso evitar perder o foco.
Segundo idioma  Inglês é imprescindível. No momento do teste online, não delegue a tarefa para outra pessoa. Em algum momento eles testarão pessoalmente as suas competências e isso pegará mal.
Viagens   Estar disposto a eventuais mudanças de cidade ou estado é um ponto positivo, segundo Vânia Moraes, gerente regional de gente e gestão da Ambev.