Empregos

Mercado e sonho nas mãos: jovens contam experiência como trainee

Além de ler histórias daqueles que ingressaram em multinacionais, confira dicas para se dar bem no processo de seleção

Isadora Sodré (isadora.sodre@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Último semestre, trabalho de conclusão de curso, formatura e um mercado de trabalho pela frente: essa é a visão de um estudante recém-formado ou prestes a terminar a graduação. E é diante deste desejo (e necessidade) de construir uma carreira que a escolha de participar de um programa de trainee pode ser uma boa opção.

Danilo ingressou no programa de trainee do grupo Odebrecht quando tinha 25 anos
Hoje, o baiano Danilo Oliveira, de 29 anos, é engenheiro industrial da Enseada, empresa que pertence ao grupo Odebrecht, mas tudo começou com a inscrição em um programa de trainee da companhia em 2014.

"O programa introduz o jovem na organização, dá uma ideia geral de todas as áreas e dá suporte na elaboração de projetos. Além disso, ter a oportunidade de, logo após sair da graduação, trabalhar em uma multinacional e ter colegas de diversas nacionalidades é uma experiência enriquecedora", contou.


Mas, e o processo de seleção? Com milhares de inscritos, o que pode ser um diferencial? De acordo com com Rafael Maldonado, 31 anos, gerente de Marketing da Skol, ele só conseguiu ingressar no programa quando decidiu focar em apenas uma empresa.

"Logo quando me formei, me inscrevi em vários trainees e não conseguia avançar para as outras etapas. Quando decidi pesquisar e percebi que os valores da Ambev eram aqueles que eu buscava e foquei neste programa avancei na seleção e fui contratado", relatou.

A história profissional de Henrique Oliveira, 28 anos, que se formou em engenharia química na Universidade Federal da Bahia (Ufba), passou por uma grande mudança após a entrada dele no programa de trainee da BASF, pois hoje ele é gerente de marketing para os negócios de químicos da multinacional.
Para Henrique, a experiência como trainee foi única e enriquecedora
"A experiência como trainee é única. Você participa de programas de mentoria e é auxiliado por executivos experientes e treina conceitos importantes. Além disso, o conhecimento de diversas áreas da empresa faz com o que você desenvolva habilidades para ampliar o seu campo de atuação", explicou.

Fabiana Saraiva, 23 anos, que ingressou no início deste ano como trainee da área de Marketing da PepsiCo Brasil, já consegue perceber uma mudança no seu olhar na área profissional.  "Desde que iniciei percebo que sou mais empática com as pessoas e processos, além de considerar, em todas as estratégias, os impactos que vão além da área que estou. Isto faz diferença no amadurecimento e no nível de exposição que um programa de trainee proporciona", disse.

Se interessou? A gerente regional de Gente e Gestão da Ambev dá dicas para fazer o diferencial durante a seleção

Através do projeto especial 'Você no Mercado', o portal iBahia conversou com a gerente regional de Gente e Gestão da Ambev, Vânia Morais, deu algum detalhes da seleção para trainees da empresa e contou o que pode ser contado como um diferencial durante o processo.