Empregos

Não sabe como pedir demissão? Cinco perguntas para saber se é o momento certo

Pense com calma e tente identificar os fatores que geram este incômodo

Redação Catho
- Atualizada em

Sentir desconforto ou desmotivação no trabalho é natural, pois pode haver um desalinhamento entre as suas expectativas internas e a realidade que você experimenta no seu ambiente de trabalho. Geralmente, estes desconfortos são pontuais e podem ser administrados com tranquilidade.

Foto:Reprodução

O problema ocorre quando esse desconforto aumenta constantemente e a sua percepção sobre a liderança e as equipes com quem trabalha e o seu relacionamento com a empresa só pioram dia após dia. Nestes casos, você pode estar vivenciando um desalinhamento ou confronto com os seus valores pessoais, o que gera um desgaste imenso e produz esta vontade (quase certeza) de pedir demissão.

Para que possa tomar esta decisão com maior clareza possível, evitando assim futuros arrependimentos, é importante que faça uma análise criteriosa sobre alguns aspectos. Seguem abaixo cinco perguntas fundamentais para te ajudar a entender se, realmente, este é momento mais adequado para deixar o seu trabalho atual:

O que especificamente está me afetando para pensar em pedir demissão?

O primeiro passo é tomar consciência do que te afeta. É a conduta agressiva da sua liderança direta? Você não possui oportunidades de crescimento, nem de assumir novas responsabilidades? A sua equipe te deixa de lado e não interage normalmente com você? Você percebe que não há reconhecimento pelas suas contribuições? Sua remuneração total (salário, bônus e benefícios) não reflete o nível de responsabilidade que possui?

Pense com calma e tente identificar os fatores que geram este incômodo. Reflita se o desconforto ocorre mais na interação com colegas, nas cobranças da liderança, na execução das atividades ou quando entrega um excelente trabalho. Esta reflexão é importante porque misturamos os fatores e, às vezes, o desconforto parece tão presente que não conseguimos distinguir a real causa, mas sempre há uma ou mais de uma.

Já fiz tudo o que podia para melhorar a situação com minha liderança, equipes e empresa?

Ao vivenciar um ambiente pouco agradável você pode cair na armadilha de apenas procurar culpados e vilões para a sua situação. Porém, pode não estar contribuindo para que a sua relação com a empresa melhore. Se o seu problema é com a liderança, você já agendou uma reunião para alinhar as expectativas e apresentar os seus incômodos?

A maior parte dos problemas vivenciados em uma empresa podem ser minimizados ou eliminados com uma comunicação aberta e madura. Sei que alguns líderes não vão oferecer a abertura necessária para uma conversa, porém você ainda poderá recorrer a outras pessoas como RH, colegas ou outras lideranças.

Eu sei claramente o que desejo de um novo emprego?

Após refletir sobre as duas perguntas anteriores, talvez, você seja capaz de identificar com maior clareza o que realmente espera de uma nova oportunidade de trabalho, qual cultura organizacional você tem mais afinidade e quais características de liderança mais te agradam.

Você deseja trabalhar em uma empresa mais agressiva voltada a uma forte cultura de crescimento de carreira? Você busca uma empresa mais tranquila que te ofereça segurança profissional? Ou deseja apenas uma empresa que pague bem?

Com essas informações em mãos, você pode filtrar as suas futuras próximas oportunidades analisando o site da empresa e conversando com pessoas que trabalham ou trabalharam por lá, além de estudar matérias e publicações que a mídia fez sobre a organização.

Eu tenho dinheiro suficiente para me sustentar por 3, 6 ou 12 meses?

Agora é chegado o momento de avaliar os riscos de uma mudança de empresa. Você precisa obrigatoriamente avaliar se possui recursos financeiros suficientes para sustentar um processo de recolocação mais demorado. Afinal, mesmo que você seja um profissional excelente, o tempo de recolocação pode variar dependendo de quanto o mercado está aquecido ou do momento atual daquela empresa que tanto deseja trabalhar.

Caso não tenha uma reserva financeira mínima, avalie se existem pessoas próximas que possam te oferecer este apoio. A recolocação gera muita ansiedade e evitar outros fatores que possam agravar este problema é essencial para que conduza este processo com maior tranquilidade.

Eu tenho o apoio de pessoas importantes (amigos e familiares) para uma possível transição?

Além do apoio financeiro, é importante você se preparar para obter certo apoio emocional durante o processo. Existem pessoas que são mais práticas e acreditam que não precisam de nenhum apoio, mas ter uma rede de segurança emocional preparada não é uma ideia tão ruim assim, não é?

Você nunca sabe quais desafios e dificuldades o processo de recolocação pode te oferecer. Neste caso, saber que tem pessoas com quem pode contar ajuda a te manter mais tranquilo para tomar uma decisão tão difícil quanto pedir uma demissão e buscar uma nova oportunidade profissional.