Empregos

Quem é o culpado pela minha infelicidade profissional?

Se o grande problema estiver com o chefe ou com a empresa, apenas o autoconhecimento pode te ajudar

Redação Catho


Foto: Divulgação
Não estar feliz ou realizado profissionalmente é uma realidade comum no mercado de trabalho. Nem todos os profissionais trabalham com aquilo que gostam e dos que trabalham, nem todos estão satisfeitos, seja com a empresa, com a remuneração, com a carga horária. Estar 100% realizado é um privilégio para poucos.

Mas, afinal, a que se deve a insatisfação profissional? Você faz parte do grupo que não faz aquilo que gostaria? Ou a empresa em que você está não lhe possibilidade se sentir realizado? A Master Coach, Bianca Caselato,  aponta o autoconhecimento como a chave para sair desta espiral:

“A partir do momento em que se sabe exatamente quem você é, e para onde você quer ir,  passa a existir uma noção muito clara se o teu problema é você ou se é a empresa” .

Ao perceber que a infelicidade no trabalho é interna e você quer fazer algo diferente, isso significa que você já sabe para onde seguir. “Sei para onde quero ir, já sei o que vou fazer. Agora é preciso fazer planejamento. Muita gente me procura dizendo que precisa do dinheiro deste trabalho e acabam reféns. A pessoa não pode ficar presa nesta premissa. No entanto, ela precisa ainda do trabalho por necessidade.”, explica Bianca.

Como se faz para dar uma guinada na vida sem prejudicar o lado financeiro? Esta é a grande questão da maioria das pessoas que chegam até a master coach: medo de ficar sem dinheiro na mudança de direção. A chave é planejamento para saber muito bem para onde seguir sem perder o foco.

Se o grande problema estiver com o chefe ou com a empresa, apenas o autoconhecimento vai determinar e fazer com que você perceba que este trabalho não é para você ou que você não quer trabalhar com este chefe. “É uma escolha sua estar naquela organização.  Ninguém está o forçando a ficar ali. Você pode sair. Mesmo que na sua própria área, pode traçar um rumo e percorrer diferentes áreas e diferentes empresas.”