Empregos

Salvador está no topo do ranking dos interessados em concurso público

Pesquisa apresentou um perfil de quem busca a carreira pública nas capitais brasileiras. Salvador perde apenas para Brasília entre os locais em que a carreira é a mais desejada

Graciela Alvarez (graciela.alvarez@redebahia.com.br)
- Atualizada em



Há 17 anos no mercado, o Curso Ímpar vai inaugurar mais uma unidade no Rio Vermelho em janeiro de 2015 (Foto: Marina Silva)



Sabe o que as mulheres solteiras, com empregos, que vivem em Salvador estão procurando? Emprego público. É isso o que mostra uma pesquisa realizada com base nos dados do Marplan, ferramenta do Instituto Ipsos. A capital baiana é a segunda cidade no número de pessoas interessadas em fazer concurso público, atrás apenas de Brasília. E a mulherada está no comando: seis em cada dez interessados em concursos por aqui são do sexo feminino.


Para atender a demanda, o mercado de concursos está aquecido. Fundado há 17 anos, o curso preparatório Ímpar está se preparando para começar o ano com o pé direito. A empresa, com sede no Rio Vermelho, vai abrir uma nova unidade no mesmo bairro (onde funcionava o Curso Podium) para receber pessoas que sonham com a estabilidade de um emprego público.


A proprietária da companhia, Ana Cláudia Souza, informa que, além de expandir os negócios, a novidade visa centralizar a gestão. “Queremos acabar com as salas que mantemos alugadas no Colégio Nossa Senhora da Luz e no Curso Análise. Como tem demanda, resolvemos investir e centralizar tudo em dois prédios”, diz ela, sem revelar o valor do investimento.  


Segundo a empresária, que espera pular dos atuais 1,5 mil alunos para pelo menos 2 mil estudantes com a nova unidade, justificativas para esse interesse do soteropolitano não faltam. “Salvador tem um número grande de faculdades e a iniciativa privada não tem capacidade para absorver todo mundo. É muita gente”.


Apesar do baiano ter fama de “boa vida”, retratado inclusive nas músicas de Dorival Caymmi, Caetano Veloso e Gilberto Gil, ela diz que essa “boa vida” não tem relação com a vida do servidor público. “Já foi o tempo em que servidor não trabalhava ou trabalhava pouco. Hoje, a cobrança é outra”, compara.


A gestora da franquia da rede Damásio Educacional (cursinho preparatório telepresencial) em Salvador, Fabiana Lescano, acrescenta ainda outro motivos. Para ela, que já trabalhou na área em outros estados, o baiano tem uma característica muito positiva: “Aqui, quando a pessoa se propõe a fazer algo, faz bem feito. Não é à toa que os primeiros colocados dos grandes concursos [nacionais] são do Nordeste”, revela.


Segundo Fabiana, o fato do nordestino ter menos oportunidades, comparado com as pessoas da região Sul, estimula a busca pela melhora de vida. “As pessoas aqui têm o hábito de sair de casa para estudar. A nossa sala de estudo, por exemplo, só anda cheia, coisa que não acontece em outras unidades do país”.


Não é para menos. Como se não bastasse o salário certo no fim do mês para o resto da vida, o emprego público oferece uma série de benefícios, como atrativas gratificações, plano de saúde de referência e licença prêmio (três meses de férias remuneradas a cada cinco anos trabalhados).


Diante dessas particularidades locais, o desempenho do grupo em Salvador não poderia ser diferente. De acordo com Fabiana, a quantidade de concurseiros e, consequentemente o faturamento, foi multiplicada 15 vezes em pouco mais de dois anos de atuação na capital baiana.


“Em janeiro de 2012, tínhamos apenas 40 alunos. Hoje, temos cerca de 600”, comemora ela, informando que atualmente são oferecidos 56 cursos, com preços a partir de R$ 97, nas modalidades telepresencial e online para carreiras jurídicas, públicas, de diplomata e pós-graduação. Na Bahia, são 12 unidades do grupo espalhadas pela Região Metropolitana e interior.


Internet

Na internet, as empresas de cursinhos preparatórios com atuação em Salvador não têm do que reclamar. Na AlfaCon, com foco no ensino a distância (EaD), o números de novos alunos em Salvador representa, em média, 8% do total no país. “Em alguns momentos chego a ter pico de 10% de novos cadastros na capital baiana. Levando em consideração a população, esse número é muito bom”, informa o sócio da empresa, Jadson Siqueira.


Ele revela que Salvador ocupa a quinta posição no ranking de capitais que mais visitam o portal da AlfaCon, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte. E quando o assunto é conhecimento a custo zero, os soteropolitanos merecem destaque. “Nossas ações gratuitas em Salvador são sempre muito fortes”, revela Siqueira, que conta hoje com 19,7 mil alunos na Bahia, sendo 6,4 mil na capital baiana.


Correio24horas