Empregos

Se liga! Como destruir sua carreira mesmo entregando ótimos resultados

A acomodação na carreira é um dos problemas mais presentes nos colaboradores de qualquer empresa

Redação Catho

A acomodação na carreira é um dos problemas mais presentes nos colaboradores de qualquer empresa e um dos fatores que mais afetam os resultados da organização. Um ambiente de estagnação e conformismo não será capaz de responder aos desafios e às constantes mudanças que o mundo oferece. Apesar destes enormes impactos, muitos profissionais, líderes e empreendedores não percebem a acomodação no ambiente de trabalho, pois ela se disfarça de diversas formas.

Segundo Jim Collins, autor do livro “Como caem os grandes”, a acomodação se parece como uma doença que no princípio é mais difícil de ser identificada, porém possui um tratamento muito mais simples e eficaz. Conforme a doença da acomodação avança, ela se torna cada vez mais visível e fácil de ser detectada enquanto que a sua cura fica muito mais distante.

Podemos identificar a acomodação tomando conta do estagiário quando ele já domina as suas atividades básicas de trabalho após 6 meses e espera a efetivação para assumir novas responsabilidades. A acomodação também está presente no profissional sênior que encontra-se no mesmo cargo por mais de 4 anos executando as mesmas atividades (independente da qualidade das entregas que ele oferece). Vemos a acomodação até no workaholic, que trabalha mais de 12 horas por dia, consome uma infinidade de horas extras, mas continua a fazer mais do mesmo.

E você, tem deixado a acomodação te dominar? Eu acredito que, em vários momentos, isto já deve ter acontecido, pois a acomodação é um movimento automático de todo ser humano. Nosso cérebro possui uma finalidade básica, nos proteger. Ele faz isso lidando com as situações já conhecidas, de baixo risco ou de difícil previsão, ou seja, te mantendo na zona de conforto.



Faça uma reflexão neste momento: nos últimos 2 anos (ou 6 meses para quem entrou esse ano no mercado de trabalho), de 0 a 10, o quanto você acha que o mercado mudou? Agora reflita, sobre este mesmo período, de 0 a 10, o quanto a sua forma de trabalhar, produzir e gerar resultados mudou? Não avalie apenas o quanto aprendeu com treinamentos ou livros que leu, mas o quanto, realmente, alterou os seus comportamentos e a sua forma de pensar sobre o trabalho?

Ultimamente, devido a globalização e o acesso instantâneo de informações, uma percepção comum das pessoas é que a sua mudança pessoal dificilmente acompanha as mudanças externas. Se isto, realmente, está acontecendo, cuidado! Você pode ficar para trás e ser substituído por profissionais que se adaptam mais rapidamente.