Música

'A lambada tem que ter ousadia na letra, sim', afirma vocalista da Lambasaia

Banda grava DVD nesta sexta-feira (12) na Arena Fonte Nova

Priscila Morais* (priscila.morais@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Olê, olê, o cafajeste da lambada chegou, bebê! E foi com esse bordão que começamos o bate-papo com Léo Dumóve, vocalista da banda Lambasaia. Segundo o cantor, a banda, criada em 2003, não era reconhecida pelo público por conta do ritmo, mas em 2018, o grupo estourou com o hit 'Eu Viajo Nela', que foi uma das canções mais votadas para a música do Carnaval. Confira a entrevista:

Foto: Reprodução | Instagram
iBahia: O que a lambada significa pra você?

Léo Dumóve: É um ritmo caliente e sensual. Anos atrás, tinha dado uma caída, mas graças a Deus a lambada voltou e o público vai à loucura. 

iB: Você já cantou em outras bandas?

LD: Já, mas era freelancer. Nunca vesti camisa de banda como é agora na Lambasaia. 

iB: Algumas músicas da banda são um pouco mais "picantes" e até mesmo geram polêmica, como é o caso do maior sucesso, "Eu Viajo Nela". Existe alguma preocupação em relação a isso? As rádios lidam bem com a situação?

LD: Na verdade, é como eu sempre falo: não vejo como algo negativo você valorizar o trabalho de uma mulher, independente do que seja. Eu poderia tá cantando: "eu tô gostando de uma advogada, ela é linda e resolve casos" (risos). Se fosse assim, eu acho que não ia dá nada, mas por que com a prostituta dá essas coisas? Sendo que você tá admitindo pra sociedade que você está gostando de uma profissional do sexo? Então, as pessoas precisam parar de pensar que é preconceito. 



iB: O Baile do Cafajeste acontece nesta sexta (12), que também vai ser gravação de DVD. O que o rei da lambada está preparando para o público?

LD: A gente tá preparando uma mega estrutura, um espetáculo de iluminação, de palco, será tudo personalizado. 

iB: Por que você escolheu Devinho Novaes para fazer participação? 

LD: Devinho foi um dos primeiros artistas que acreditou na gente. Inclusive, gravou uma música minha. Ele é um cara bem legal e um vídeo que a gente fez com ele, só fez somar.

iB: Qual artista você tem como inspiração?

LD: Eu sou do rock'n roll. Eu me inspiro no rock'n roll pra me apresentar do jeito que eu me apresento, que é pulando, enlouquecendo e gritando. Sou muito fã da Metálica. 

iB: Na sua passagem do Carnaval, você arrastou uma multidão. Você imaginou que sua música iria ter uma proporção tão grande assim? 

LD: Quando a gente gravou o CD da Lambasaia, a gente imaginou que iriamos tocar bastante na zona rural, em alguns distritos e ia parar por ali, mas a gente escreve de uma maneira e Deus escreve de outra, né? E aí acabou invadindo as capitais e graças a Deus está igual a vento, tocando em vários lugares ao mesmo tempo.

iB: Tem medo de ser artista de apenas um hit?

LD: Eu tô tranquilo, porque depende do seu esforço também. Ninguém escapa dessa possibilidade de ser artista de um sucesso só, mas a gente tem a escolha de continuar fazendo parcerias, de continuar fazendo músicas, clipes, então a gente não pode parar com as novidades, porque as pessoas gostam de ver as novidades.


Serviço
O quê: Baile do Cafajeste
Onde: Arena Fonte Nova
Quando: Sexta-feira, 12 de abril
Horário: 21h
Ingressos: entre R$40 e R$140

*Sob supervisão e orientação da repórter Naiá Braga