Cinema

'A Mula' é previsível, mas Clint Eastwood vale a ida ao cinema

Filme ainda tem Bradley Cooper no elenco

Heyder Mustafá* (heyder.mustafa@redebahia.com.br)


Nem de longe esse é o melhor filme da lenda Clint Eastwood, dono de pérolas como 'Menina de Ouro', 'Os Imperdoáveis', ‘Gran Torino’ e 'Invictus'. Ainda assim, sua nova produção é um deleite para os fãs desse ator e diretor de 88 anos que empresta sua genialidade para a sétima arte há décadas. ‘A Mula’ conta a história de Earl Stone, um senhor octogenário que aceita transportar cocaína pelas estradas norte-americanas após ver sua plantação de lírios acabar e as dívidas crescerem sem trégua.

Acima de qualquer suspeita, o idoso ex-combatente de guerra se torna a mula ideal do cartel mexicano para distribuir a droga pelo meio-oeste dos Estados Unidos. Inicialmente, ele não sabe o que está transportando, mas ao descobrir não se faz de rogado e continua seduzido pela grana fácil, que o faz se aproximar da família desassistida por ele durante toda a vida. Aliás, esse é o único remorso do personagem.



Baseado em fatos reais, ‘A Mula’ é muito mais um drama familiar do que um filme policial, embora o crime e a atuação do FBI para desarticular o esquema sejam o fio condutor da trama. Valores, perdão e redenção formam o tripé que sustenta a história. A mistura é certeira para um roteiro manjado, mas a presença de um Clint Eastwood ainda pujante, irônico e sem filtros segura o filme do começo ao fim. A lenda continua mais viva do que nunca!      

*Heyder Mustafá é jornalista e produtor cultural formado pela UFBA, editor de conteúdo da GFM e Bahia FM, apresentador do Fala Bahia e apaixonado por cinema, literatura e viagens.