TV

Apresentador causa revolta após sugerir 'campo de concentração' com infectados

Jornalista pediu ainda que o presidente Jair Bolsonaro desse atenção à sua sugestão

Agência O Globo

O apresentador Marcão do Povo, do SBT, causou revolta nas redes sociais após sugerir a criação de um campo de concentração com infectados pelo novo coronavírus no programa ''Primeiro impacto'' desta quarta-feira, dia 8.


A ideia foi exposta depois do comunicador citar a China, alegando que o governo do país asiático isolou moradores de Wuhan contaminados pelo Covid-19 em hospitais construídos na cidade, primeiro epicentro da doença. Na sequência, ele sugeriu a criação de um campo de concentração para tratar os brasileiros que contraíram o vírus e pediu ainda que o presidente Jair Bolsonaro desse atenção à sua sugestão.

Marcão do Povo também pediu para que o presidente fizesse um decreto para colocar o Exército nas ruas para prender os governadores que desrespeitassem as regras. ''Na China, em Wuhan, as pessoas que estavam com sintomas ou assintomáticas do coronavírus foram levadas e colocadas nessas cidade. Montaram vários hospitais e essas pessoas foram tratadas naquele local. Atenção presidente: não seria interessante o Exército, a Marinha e Aeronáutica montarem um local onde todas as pessoas com sintomas ou confirmadas com coronavírus fossem cuidadas e tratadas? Em vez de espalhar da maneira que está acontecendo em todos os lugares, com excessivos e as cidades paradas? Não seria interessante um local só para cuidar dessas pessoas? Não seria interessante o Exército e a Marinha montarem um campo de concentração?"

O apresentador alegou que concentrar todos os pacientes da Covid-19 em um único local ''acabaria com esse negócio de ter que espalhar dinheiro para os Estados''. ''Tem Estado que nem teve um confirmado direito e já decretou calamidadade. No Tocantins teve um caso, não teve uma morte. O Estado tem necessidade de decretar? Não tem necessidade. É despesa para o bolso do cidadão.''