Séries

Atriz de 'Pais de Primeira', Renata Gaspar não pretende ter filhos

No estúdio, eram três bebês de 3 meses que se revezavam na função

Agência O Globo

Uma visita inesperada bate à porta de Taís (Renata Gaspar) e Pedro (George Sauma) em “Pais de primeira”, série que estreia neste domingo, na Globo, após a “Escolinha do Professor Raimundo”. Quem chega sem mandar aviso prévio é a cegonha, que tem o poder de transformar a vida do casal a partir do momento em que anuncia a boa nova: Lia está a caminho. Da descoberta da gravidez aos primeiros dias de vida da pequena, passando pelo parto, tudo muda na rotina dessa família, que ganha mais uma integrante já no primeiro episódio.

Foto: Divulgação

— Pedro é “atropelado” pela notícia de que vai ser pai. É um baque, mas ele vai se apaixonando por essa ideia. A paternidade o amadurece e faz com que veja a vida de outra maneira — diz Sauma, de 29 anos, que é solteiro e não tem filhos.


Uma verdadeira revolução também acontece com a futura mamãe já nos primeiros meses de gravidez, quando seu corpo ganha outras formas.

— Taís se sente feia na gravidez e fica com a autoestima baixa. Depois do nascimento de Lia, eles ficam ainda mais parceiros e percebem que precisam se resgatar como marido e mulher. Óbvio que rolam conflitos, mas eles permanecem apaixonados — frisa Renata, que namora a profissional de marketing Bebel Luz.

Sauma completa:

— Essa série traz a esperança de que vale a pena acreditar no amor.

Já viver a experiência de ter um filho é opcional.

— Sempre tive vontade de ser pai, mas esse trabalho me deu a noção de que ter um filho não é brincadeira. A vida muda em todos os sentidos. De repente, não dá mais para querer se mudar para o Japão de uma hora para outra. Ser pai não é uma obrigação, mas gostaria de viver isso — observa Sauma.

Renata diz em seguida:

— Não sou mãe e não pretendo ter filhos, mas foi gostoso conviver com as bebês (com quem contracenou).

Na trama, Lia é uma menina. No estúdio, eram três bebês de 3 meses que se revezavam na função.

— Foi a primeira vez na vida que segurei bebês tão pequenos no colo. Ficava insegura. Coloquei o peito de verdade para “mamarem”, mas, quando a criança deu uma sugadinha, eu quase morri — diverte-se Renata.