TV

Chefs falam sobre representar a Bahia no 'Mestre do Sabor' e revelam planos após programa

Ao iBahia, Arthur Pendragon e Kaywa Hilton falaram também sobre como a pandemia tem refletido na gastronomia

Lucas Sales* (lucas.sales@redebahia.com.br)

A Bahia tem dois representantes na atual temporada do 'Mestre do Sabor': Arthur Pendragon e Kaywa Hilton. O primeiro, feirense, entrou no programa após cozinhar para os chefs um ravióli de maniçoba ao molho de moqueca de banana da terra. Já o segundo, soteropolitano, conquistou os críticos após apresentar uma barriga de porco com lagostins e endívias. O entretenimento conta com os jurados Léo Paixão, Kátia Barbosa e Rafael Costa e Silva, que assumiu o lugar do português José Avillez. Além da presença de Claude Troigros, Batista e Monique Alfradique.

Foto: Reprodução Globo & Gshow | Camilla Maia | Samuel Kobayashi

Em conversa com o iBahia, os chefs falaram sobre representar o estado na competição culinária da TV Globo: "Eu tenho muito orgulho dessa terra e, entre tantos nomes na gastronomia local, é muito gratificante poder representar a Bahia na competição", disse Kaywa. "Pra mim é uma honra fazer parte de um time de Chefs tão especiais e ainda ser orientado por profissionais de excelência. Está sendo uma experiência extremamente enriquecedora", pontuou Pendragon. 

Em Salvador, Kaywa, que é filho de pai baiano e mãe francesa, comanda o projeto Mesa Nômade, que reúne pessoas para um jantar com menu degustação cheio de conceito, sempre em lugares inusitados, montados especialmente para a ocasião. "O Mesa Nômade surgiu a partir da vontade de proporcionar uma vivência gastronômica itinerante. No Uruguai tive a oportunidade de trabalhar com fogo e me encantei com a interação assador/cliente. Como sempre trabalhei em uma cozinha mais tradicional e estrelada, voltei para a Bahia com a vontade de quebrar essa barreira e diminuir a distância entre chef e clientes. Realizamos 3 edições em Salvador onde, oferecemos um jantar de 5 etapas, harmonizado, numa grande mesa compartilhada. O nosso foco é sempre trabalhar com produtos frescos e locais, respeitando a sazonalidade e sabores. É incrível essa troca com produtores locais", explicou o chef.

Foto:  Gshow/ Samuel Kobayashi

Sobre como o seu projeto tem se desenrolado com a pandemia causada pelo coronavírus, Kaywa refletiu: "é muito difícil ver chefs e restaurantes passando por esse momento onde ficamos de mãos atadas. Muitos colegas fechando as portas de grandes restaurantes. Acredito que a única saída será se reinventar ao 'novo normal'. Com o Mesa Nômade, estamos buscando como seguir compartilhando com os nossos clientes sem os eventos, produzimos produtos para casa, respeitando todas as recomendações de segurança".

Em Feira de Santana, Arthur é dono do Buffet Pendragon e recentemente abriu um restaurante com um dos seus clientes, o Rotisseria Casa do Chef. Para o iBahia, ele contou que sua participação no programa refletiu nos seus negócios, que dispararam nas vendagens. "Em meio à pandemia, meu restaurante tem vendido acima do que havíamos planejado para esse momento. Além disso, muitos clientes tem me procurado para jantares exclusivos. Estou vivendo um momento de muita satisfação profissional", disse.

Foto: Gshow/ Samuel Kobayashi

No reality gastronômico, Pendragon faz parte do time Kátia, enquanto Hilton, do time Rafa - antigo time Avillez. "A minha cozinha do coração se assemelha muito com o que a Kátia apresenta em suas criações, então pra mim, ter ela por perto tem sido surreal, a minha referência na gastronomia está me orientando, isso é demais! Inexplicável!", contou Arthur. "Sempre admirei muito o trabalho do Rafa, o acompanho há um tempo. Foi uma pena a despedida do Avillez devido às circunstâncias da pandemia, mas estou seguro que estamos em ótimas mãos", disse Kaywa. 

Disputando 250 mil reais, os chefs têm se destacado no programa pelos desempenhos nas provas individuais e em grupos. Na última quinta-feira (28), Arthur foi salvo por Kátia, já Kaywa, teve seu prato eleito o melhor da noite. "É muito gratificante quando se têm um trabalho reconhecido, principalmente por nomes que são referências em nosso meio. Além desse reconhecimento, o carinho que tenho recebido do público tem sido indescritível. Tudo isso me faz acreditar que estou no caminho certo", reiterou o chef soteropolitano. 

Visando o pós-programa, os chefs já traçaram planos para seus futuros. "Meu maior plano é organizar a reabertura da Casa do Chef, que tem trabalhado apenas com congelados e realinhar nosso propósito e metas para 2021. Esse ano está sendo um desafio para todos os segmentos, mas tenho certeza que com organização e propósitos bem alinhados, sairemos dessa pandemia ainda mais fortes", revelou Pendragon. "O programa é uma das etapas da minha jornada na gastronomia. Seguirei trabalhando para alcançar novos objetivos. Ter um restaurante é um grande sonho e uma motivação para conquistar esse prêmio", dividiu Kaywa.  

O Mestre do Sabor vai ao ar todas as quintas-feiras na TV Globo, após a novela das nove. 

* Sob supervisão e orientação do repórter Guinho Santos.