Cinema

Cinco filmes não óbvios para apaixonados por música

Conheça filmes não óbvios com trilhas sonoras totalmente criadas ou ajustadas especialmente para eles.

Vanessa Brunt e Catarina Barbosa, do Não Óbvio
- Atualizada em
O cinema é uma arte em que há espaço para todos os tipos de gêneros possíveis: dos dramas, das comédias, da ação e da aventura até os musicais. São inúmeras escolhas para os mais variados tipos de gosto. Porém, uma coisa passa por todos esses gêneros: a música. O que seria de um filme sem uma boa trilha sonora? Ela amplia emoções e pode chegar a ser marca registrada de uma trama mais do que o próprio roteiro.

É difícil imaginar, por exemplo, Tubarão sem o famoso tema que nos dá arrepio na espinha ou Psicose em sua famosa cena da banheira sem aquele toque angustiante. Essas são as chamadas Original Soundtrack (OST), compostas por normalmente por orquestras e um maestro.
Entre trilhas sonoras feitas especialmente com canções originais para o filme e entre músicas que foram ajustadas na medida para eles, o NÃO ÓBVIO trouxe uma lista de longas cujas trilhas sonoras estão diretamente ligadas ao roteiro ou a todo o processo dos bastidores. Confira, sem ordem de preferência:

1. Os Piratas do Rock
A trama acompanha diversas rádios piratas no Reino Unido que só tocavam rock e pop, gêneros desprezados pela BBC Radio, que só tocava jazz. Por conta da ilegalidade, essas rádios ficavam em barcos localizados em águas internacionais.

Carl (Tom Sturridge) é um jovem de 17 anos e que foi expulso da escola. Ele é mandado para passar um tempo com seu padrinho chamado Quentin (Bill Nighy), que comanda a Radio Rock no Mar do Norte. Lá, ele conhece os outros membros da rádio, que são conhecido por pseudônimos. Porém, o ministro do governo inglês Sir Alistair Dormandy (Kenneth Branagh) quer acabar com as rádios piratas por conta de contratos comerciais e por achar que são imorais.

É um filme que fala sobre a história do rock, então tem sua trilha sonora nomes como The Who, Jimi Hendrix e David Bowie. Para aqueles que são fãs do gênero, é uma ótima indicação. A composição da música original ficou a cargo de Hans Zimmer, conhecido pelas trilhas de Blade Runner 2049 e A Origem.

É uma comédia leve que contém aquele humor tipicamente britânico e que possui um elenco incrível.

Disponível na Google Play Movies e a trilha sonora pode ser ouvida no Spotify, Deezer e na Google Play Music.

☌ Direção: Richard Curtis.
☌ Elenco: Philip Seymour Hoffman, Emma Thompson, Rhys Ifans, Bill Nighy, Kenneth Branagh, Tom Sturridge, Nick Frost e Talulah Riley.
☌ Gênero: Comédia.
☌Duração: 2h15 minutos.
☌Lançamento: 2009.

2. A Luneta do Tempo
A época do cangaço inspira histórias até hoje, seja na literatura, nas novelas ou no cinema. Lampião e seu bando marcaram tanto a cultura brasileira que, devido a quantidade de produções, inspiraram um novo gênero: nordestern*. Seria um faroeste, só que no sertão nordestino.

A Luneta do Tempo não foge do nordestern, pelo contrário, bebe muito em sua fonte. Entretanto, conta com um fator inusitado: é dirigido por ninguém menos que Alceu Valença.

A história é novamente sobre Lampião (Irandhir Santos) e Maria Bonita (Hermília Guedes), caminhando pelo sertão de Pernambuco e enfrentando a volante. Enquanto isso, o representante do governo, Autero Tenente (Servilio de Holanda), foi largado pelos cangaceiros de cabeça para baixo e busca vingança. O filme levou 14 anos para ser lançado e, graças a sua trilha sonora é que ele está nessa lista.

Ele não é sobre música, mas ao ter Alceu Valença como diretor, ela acaba marcando muito a narrativa e se tornando, de certa forma, uma espécie de personagem, justificando sua indicação na lista. O próprio Alceu é quem assina a trilha sonora, que foi lançada como um álbum a parte.

A trilha sonora, inclusive, demonstra porque Alceu é considerado um grande músico e é digna de colocar em qualquer playlist.

*Termo criado pelo pesquisador Salvyano Cavalcanti de Paiva e que foi utilizado por Marcelo Dídimo no livro “O cangaço no cinema brasileiro”, de 2010.

O filme está disponível completo no YouTube, enquanto que a trilha sonora pode ser apreciada no Spotify, Deezer, YouTube e na Google Play Music.

☌ Direção: Alceu Valença.
☌ Elenco: Irandhir Santos, Hermília Guedes, Servilio de Holanda e Alceu Valença.
☌ Gênero: Drama.
☌ Duração: 1h39 minutos.
☌ Lançamento: 2014.

3. Sing Street: Música e Sonho

Irlanda, anos 1980: Conor (Ferdia Walsh-Peelo) é um jovem de dezesseis anos que acabou de ser transferido para uma escola católica mais barata, já que seus pais estão passando por dificuldades financeiras. Ele conhece Raphina (Lucy Boynton), uma jovem que diz ser modelo. Para tentar conquistá-la, diz ter uma banda e a chama para participar de um clipe. Só que há um problema: ele não tem uma banda. Conor decide formar uma e assim impressionar Raphina.

A trama pode até soar clichê, mas é a música que o torna diferente, já que ela é o que conduz a narrativa.

O longa mescla composições originais da banda que Conor está tentando formar e músicas da época em que se passa. Há canções do A-Ha, The Cure, Duran Duran e The Clash. O visual da obra é todo inspirado nos anos 1980 e está lotado de referência à década, trazendo uma espécie de nostalgia.

Para aqueles que são fãs de Mesmo Se Nada Der Certo, a indicação pode cair como uma luva, já que ambos são do mesmo diretor: John Carney. É possível identificar até certos elementos parecidos em ambos os filmes. Quando a banda de Conor vai filmar o vídeo dos singles, é possível lembrar um pouco a cena de gravação da música Coming Up Roses.

A trilha sonora também foi composta pelo próprio diretor e é do tipo que não sai dos ouvidos.

Indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme Cômico ou Musical em 2017.

Disponível na Netflix e a trilha sonora pode ser encontrada no Spotify.
☌ Direção: John Carney.
☌ Elenco: Ferdia Walsh-Peelo, Lucy Boynton, Jack Reynor, Maria Doyle Kennedy e Aiden Gillen.
☌ Gênero: Drama/Romance.
☌ Duração: 1h46 minutos.
☌ Lançamento: 2016.

4. Juliet, Nua e Crua

Baseado no livro de Nick Hornby, o filme conta a história de Annie (Rose Byrne), uma mulher em um relacionamento de 15 anos com Duncan (Chris O’Dowd). O problema é que Duncan é obcecado pelo cantor de rock Tucker Crowe (Ethan Hawke), que está sumido do cenário musical há um certo tempo.

A obsessão é tanta que ele se dedica mais a Crowe do que ao seu relacionamento. Só que surge uma música acústica antiga de Crowe, que Annie imediatamente critica negativamente no site sobre o cantor. O que ela não contava era ser respondida pelo próprio Crowe, com ele concordando com a crítica.

Comédia romântica, o filme fala sobre amadurecimento, pressões da indústria e relacionamentos de uma forma leve. Seu maior forte é a trilha sonora, que mistura canções originais com covers de músicas do The Kinks, todas performadas pelo elenco. Aliás, Ethan Hawke, que já tinha cantado em Boyhood, aparece aqui cantando muito bem.

O filme dividiu críticos e público: enquanto o primeiro alega que é mediano, o segundo aprovou bastante. Como opiniões só de um lado nem sempre enxergam todas as entrelinhas possíveis, vale a pena conferir e, principalmente, escutar a trilha sonora, composta por Nathan Larson.

Está disponível no streaming do NOW, enquanto que a trilha sonora está no Spotify.

☌ Direção: Jesse Peretz.
☌ Elenco: Rose Byrne, Ethan Hawke, Chris O’Dowd e Ayoola Smart.
☌ Gênero: Comédia Romântica.
☌ Duração: 1h45 minutos.
☌ Lançamento: 2018.

5. Rudderless
Um pouco mais denso que os outros indicados da lista, Rudderless é sobre Sam (Billy Crudup), um pai de família bem sucedido e dedicado. Uma tragédia acontece e Sam perde seu filho Josh (Miles Heizer), fato que o faz virar alcoólatra e morar num barco, longe do resto da família. Dois anos depois, Emily (Felicity Huffman), sua ex-esposa, lhe manda uma caixa com alguns pertences do filho, fazendo com que Sam se lembre do amor que eles tinham pela música. Ainda lidando com o luto, Sam conhece Quentin (Anton Yelchin) e juntos formam uma banda em homenagem a Josh.

É o primeiro filme dirigido por William H. Macy, mais conhecido por Fargo (filme) e pela série Shameless. Foi muito bem recebido pela crítica e aborda de forma sensível temas como perda, luto, ausência paterna e superação, além de, claro, música.

Apesar das críticas internacionais serem boas, foi lançado diretamente em DVD aqui no Brasil, sem passagem pelas salas de cinema. O elenco tem também Selena Gomez no papel de Kate Ann Lucas.

Mesmo tratando de temas mais sérios, o filme ainda acha um espaço para o humor e mostra como a música pode ajudar a superar traumas. A trilha sonora, inclusive, é toda feita de canções originais e quem assina a composição é Eef Barzelay.

A banda que Sam monta no filme ficou conhecida como Rudderless e é assim que as composições são assinadas. Selena Gomez participa de algumas delas.

O álbum da trilha sonora original estreou na 12ª posição do top Soudtrack Albums da Billboard.

Pode ser assistido no Google Play Movies. A trilha sonora pode ser encontrada no iTunes.

☌ Direção: William H. Macy
☌ Elenco: Billy Crudup, Selena Gomez, Anton Yelchin, Felicity Huffman e Miles Heizer.
☌ Gênero: Drama.
☌ Duração: 1h45 minutos.
☌ Lançamento: 2014.

*Conteúdo em parceria com o site Não Óbvio