Séries

Conheça os cenários reais de 'Game of Thrones' em cinco países

Série foi gravada em locações em Croácia, Irlanda do Norte, Espanha, Islândia e Malta

Agência, O Globo
A oitava e última temporada de “Game of Thrones” estreia no próximo domingo na TV. Mas os fãs da saga poderão continuar a seguir os passos de Jon Snow, Daenerys e Tyrion no mundo real. Especialmente em cinco países europeus onde quase toda a produção foi filmada: Irlanda do Norte, Croácia, Espanha, Islândia e Malta . Veja, a seguir, como visitar algumas dessas locações.
Croácia
Não é preciso ser fã da série da HBO para se apaixonar por Dubrovnik. Mas, se as cenas da “caminhada da vergonha”, da quinta temporada, estiverem na memória, é ainda mais saboroso andar pelas ruas de pedra do centro antigo desta cidade, no sul da Croácia. Na ficção, ela é Porto Real, a capital dos Sete Reinos, onde está o trono de ferro, cuja disputa é o estopim da trama.
Foto: Reprodução
Há muitos tours temáticos que levam os turistas aos locais usados como cenários. Não ficam de fora a escada que leva à Igreja de Santo Ignácio de Loyola, a arcada do Museu Etnográfico Rupe, o portão Ploce, o Palácio do Reitor e os fortes Bokar e Lovrijenac, marcos facilmente reconhecíveis na telinha. A Torre Minceta é outro ponto concorrido na cidade murada. Na série, ela representa a Casa dos Imortais e tem papel importante na jornada de Daenerys. Mas ela não fica em Porto Real, e sim na também fictícia Qarth, no continente de Essos. Para representar os jardins de um palácio nessa mesma cidade fictícia, a produção escolheu a Ilha de Lokrum, a poucos minutos de barco do centro antigo de Dubrovnik.
Outra cidade importante na trama da HBO, Meereen, vive em cenários reais da Croácia. Em Split, o Palácio Diocleciano emprestou suas instalações para o fosso dos dragões e o salão do trono de Daenerys. Já o Forte de Klis apareceu na tela como a entrada da cidade.

Malta
“Game of Thrones” ainda engatinhava na telinha quando Malta começou a receber os primeiros fãs da série. A ilha no Mediterrâneo é cenário de alguns dos momentos mais marcantes da primeira temporada do programa. Principalmente a cidade murada de Mdina, que, por algumas semelhanças com a croata Dubrovnik, também “interpretou” a capital dos Sete Reinos.
Foto: Reprodução
Personagem principal da temporada inaugural, Ned Stark circulou bastante por lá. A cena em que ele confronta Cersei Lannister foi gravada nos jardins do Convento de São Domingo. E sua luta com Jaime aconteceu na Mesquita Square. O portão principal para a cidade antiga também aparece com destaque na primeira temporada. Importantes cenas foram gravadas também nas cidades de Buskett, Manoel Island e Birgu.
Infelizmente, um dos cartões-postais da ilha, que ficou ainda mais famoso com a cena do casamento entre Daenerys e Khal Drogo, perdeu parte de seu encanto. Em 2017, o arco natural conhecido como Azure Window, na Praia de Gozo, desabou após uma forte tempestade.
Irlanda do Norte
Em um lugar da Irlanda do Norte, fãs de “Game of Thrones” podem se sentir em Winterfell. Parte das cenas passadas no castelo-fortaleza da família Stark foi gravada em Castle Ward, uma propriedade rural que ganhou ares medievais graças à produção da série. Quando não está sendo usado como cenário, o lugar oferece visitas guiadas e experiências aos visitantes, que, vestidos como Starks, podem testar suas habilidades no arco e flecha. Ele é explorado pela Winterfell Tours, que oferece passeios a partir da capital Belfast, a cerca de uma hora de distância.
Foto: Reprodução
As paisagens da Irlanda do Norte casam bem com as imaginadas por George R. R. Martin quando escreveu “As crônicas de gelo e fogo”, livros que originaram a série da HBO. Um exemplo é a estrada de Dark Hedges, que passa sob um túnel de árvores (faias) que parecem saídas de um conto de fadas. Na telinha, a via se transforma na Kingsroad.
Perto dali, a pitoresca Ballintoy Harbour serviu de cenário para as inóspitas Ilhas de Ferro, da família Greyjoy. Na região, estão também Larrybane e Carrick-a-Rede Rope Bridge, uma ponte de cordas entre dois penhascos, a 30 metros de altura, que aparece em dois momentos bem tensos da trama, na segunda e na sexta temporadas, sempre envolvendo os Greyjoy. Quem tiver coragem pode atravessar de um lado a outro.
De volta à capital norte-irlandesa, uma exposição reunirá, até 1º de setembro, figurinos usados por dezenas de personagens ao longo das últimas sete temporadas no centro de exposições TEC Belfast.
Em 2020, os fãs terão mais uma atração no país. O Linen Mill Studios, em Banbridge, abrirá aos turistas os cenários utilizados nas cenas internas, numa experiência similar ao tour de Harry Potter no Warner Bros. Studio em Londres.
Islândia
O que há além da muralha que separa os Sete Reinos do extremo norte do continente de Westeros? Esta é uma dúvida que aflige muitos dos personagens da trama. Na vida real, é possível ver de perto essas paisagens dominadas por grandes montanhas, amplas planícies, rios congelados e grutas, sem risco de topar com os temíveis Caminhantes Brancos pelo caminho. Basta viajar para a Islândia, locação preferencial para as cenas beyond the wall .
Foto: Reprodução
Após sete temporadas de sucesso, os passeios inspirados em “Game of Thrones” também chegaram por lá. Uma das paradas mais populares é a Montanha Kirkjufell, na Península de Snaellsnes, na costa norte da ilha. O pico, com topo arredondado e vizinho a uma fotogênica cachoeira, a Kirkjufellsfoss, aparece diversas vezes na série, sempre coberto de neve. Mas vale visitá-lo em outras estações
Outro ponto imperdível é a gruta Grjótagjá , a nascente de águas termais onde Jon Sonw e Ygritte vivem sua famosa cena de amor na terceira temporada. Fica perto do Lago Mývatn e a temperatura da água chega a 50°C.
Muitas cenas da quarta temporada foram rodadas no Parque Nacional Thingvellir, o mais importante do país e Patrimônio Mundial da Unesco.
Espanha
A Espanha é outro país onde não faltam atrações para os fãse de “Game of Thrones”, sobretudo no sul do país, onde o clima quente e o visual meio europeu, meio árabe, combinam perfeitamente com destinos um tanto “exóticos” dentro do universo da série. Tanto o solar reino de Dorne, no sul de Westeros, quanto cidades e desertos do continente de Essos.
Foto: Reprodução
O Real Alcázar de Sevilha, palácio real construído no estilo mudéjar para os reis católicos espanhóis, aparece na série como o palácio da família Martell, de Dorne, com destaque para os jardins, chamados na trama de Jardins de Água . Os salões internos e os Banhos de María de Padilla também aparecem com destaque na série.
Em Osuna, também na Andaluzia, a Plaza de Toros foi o palco de uma das cenas mais emblemáticas da quinta temporada, envolvendo gladiadores, Daenerys e, claro, um dragão. Desde então, a arena se tornou uma das atrações mais visitadas da cidade.
Falando na “Mãe dos Dragões”, outra atração que despontou no cenário turístico espanhol turbinada pela popularidade da série é a ilhota de Gaztelugatxe, que fica na Baía de Biscaia, no País Basco. As pontes e escadarias de pedra, que ligam o continente à igrejinha de São João, no topo, foram usadas como locação para a Pedra do Dragão, palácio para onde Daenerys volta para reconquistar os Sete Reinos. Mas aí é história para a temporada que começa agora.