Cinema

Curta-metragem sobre vivências de mulheres soteropolitanas é lançado neste domingo (18)

O filme é um dos projetos beneficiados com o Programa Aldir Blanc Bahia e será disponibilizado no Youtube

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O curta-metragem “Sobre nós dois ninguém nunca vai saber de tudo” estreia neste domingo (18), no Canal do ‘’JA - Jangada de Arteducação’’ no Youtube. O filme é fruto de pesquisas sobre as expressões do patriarcado nas relações amorosas e utilizou a dança para destacar as memórias, histórias e vivências de mulheres soteropolitanas. Confira o teaser no canal

Um dos destaques é que ele é dividido em ciclos, justamente para compreender as diferentes fases de uma relação amorosa.

“Escolhemos trabalhar por ciclos, pois, assim como os arquétipos e os papéis estipulados para homens e mulheres se repetem na sociedade, eles também se fazem confundir em meio às suas repetições. E para enxergar a raiz do que nos afeta, precisamos olhar com minuciosidade, por sessões.”, defendem as intérpretes.

Cada um desses ciclos foi percorrido com orientação de uma diferente tutora cênica: Lara Machado, Tânia Bispo e Inaê Moreira. Vale ainda pontuar que o filme foi gravado em uma residência antiga, situada na Rua Paraná, no bairro de Paripe. O local, que já foi lar de uma família, se tornou uma casa cultural - Ninho da Águia. 

“Entre as diversas razões que nos fizeram escolher essa residência está o fato de Paripe ter assumido, há alguns anos, a posição de um dos bairros mais negros da cidade e, por outro lado, figurar também no ranking dos mais perigosos. Por isso, ações artístico-culturais se fazem ainda mais importantes, a fim de apontar outros contextos, contribuir no reconhecimento, desenvolvimento e educação local.”, explicam as intérpretes.

O projeto foi idealizado por Carolina Miranda, com co-idealização de Haíssa Brandão e Paula Marinho (Foto: Divulgação/Analu Abreu)


O projeto foi idealizado por Carolina Miranda, com co-idealização de Haíssa Brandão e Paula Marinho. Todas são dançarinas, naturais de Salvador. O resultado final foi registrado pela diretora fotográfica Shai Andrade, que contou com assistência de Yan Onawale, edição de Marcos Lé e coloração Filipe Louzado. A Direção de Arte é assinada por Zuarte Júnior e Alex Muniz compôs a trilha sonora. O curta chega aos olhos do público graças ao Programa Aldir Blanc Bahia, que patrocinou projetos culturais realizados no estado.