Cinema

‘De Pernas pro Ar 3’ não é o mais engraçado, mas é o melhor dos três filmes

‘De Pernas pro Ar 3’ não é o mais engraçado, mas é o melhor dos três filmes

Heyder Mustafá* (heyder.mustafa@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Alice (Ingrid Guimarães) está de volta com sua Sexy Delícia ainda revolucionando o mercado de sex shop mundo afora. Divertida, mas não engraçadíssima, a personagem de Ingrid Guimarães reaparece mais madura, humanizada e decidida a dar um tempo dos negócios e focar na família. Claro que o plano vai por água abaixo quando uma jovem ameaça surge com um grande potencial de ofuscar o império erótico criado pela empresária.

‘De Pernas pro Ar 3’ tem os ingredientes necessários para uma boa comédia: atuações marcantes e diálogos rápidos. No filme, o mérito de fazer rir é todo de Alice e de Rosa (Cristina Pereira), o braço direito da família. São elas as responsáveis pelas cenas mais hilárias e providenciais caras e bocas merecedoras de boas gargalhadas.


Mas, desta vez, a maturidade da protagonista permitiu que doses de drama fossem inseridas com sucesso na trama. Alguns diálogos sobre vida a dois, carreira, sucesso e família são bem fortes para um filme cujo objetivo é fazer rir. Neste fim de trilogia, Alice não é só piada. Seus conflitos existenciais como mãe, esposa e mulher de negócios vêm à tona de forma muito mais evidente e fecham a história de maneira satisfatória.

Mais uma vez, Ingrid Guimarães convence e a ida ao cinema é certeza de diversão e reflexão sobre temas tão óbvios que raramente colocamos em xeque. Para esta franquia de sucesso, não poderia haver final mais coerente do que esse que está nos cinemas à sua espera.

*Heyder Mustafá é jornalista e produtor cultural formado pela UFBA, editor de conteúdo da GFM e Bahia FM, apresentador do Fala Bahia e apaixonado por cinema, literatura e viagens.