Música

Disco póstumo de Michael Jackson tem uso de vocais falsos, diz site

Documentos tentam provar que Sony gravou três músicas com voz de imitador

Agência O Globo

A desconfiança de fãs em algumas faixas do álbum póstumo de Michael Jackson, "Michael", de 2010, pode não ser apenas uma teoria da conspiração. O site "HipHop-n-more" publicou documentos que revelariam que a Sony Music teria usado vocais falsos em três músicas lançadas no disco.

As faixas “Breaking news,” “Keep your head up” e a parceria com 50 cent, “Monster”, teriam sido, na verdade, interpretada pelo cantor Jason Malachi. Em 2011, Malachi já tinha confirmado ao "TMZ" que ele havia feito as gravações.

Em 2014, uma fã de Jackson chamada Vera Serova abriu um processo contra a Sony e os produtores do álbum, Eddie Cascio e a empresa Angelikson Productions LLC, alegando que o disco era uma fraude. Nos documentos obtidos pelo "HipHop-n-more", os produtores não conseguem provar a existência das gravações com Michael, que teriam ocorrido em 2007. Além disso, a análise de um perito conclui que as faixas não são cantadas pelo rei do pop.

Na época do lançamento muitos fãs desconfiaram das três músicas. Até mesmo a mãe de Michael, Katherine Jackson, disse ao "Guardian" que as canções eram "fake".

O álbum chegou ao terceiro lugar da lista da Billboard, vendendo 228mil cópias na primeira semana. Procurada pelo GLOBO, a Sony informou, por meio de sua assessoria, que está "ciente" do caso, mas que não irá comentá-lo. À revista "Variety" a empresa negou que tenha admitido que os vocais sejam falsos e afirmou que o processo sobre a veracidade das vozes ainda é inconclusivo.

Veja os vídeos: