Turismo

Documentos, bagagens, imigração e mais: Tudo que você precisa saber antes de viajar

Para evitar estresses e imprevistos, é importante conhecer todas as etapas que envolvem uma viagem, desde o planejamento até o aeroporto e, enfim, o destino final

Publieditorial
- Atualizada em

Oferecimento
Viajar é mais do que comprar a passagem de avião, fazer as malas e esperar o dia de embarcar. Para evitar estresses e imprevistos, é importante conhecer todas as etapas que envolvem uma viagem, desde o planejamento até o aeroporto e, enfim, o destino final. Pensando nisso, reunimos aqui as informações mais importantes que você precisa ter para viajar sem problemas.

No aeroporto
Foto: Divulgação / Agência Brasil

Antes de sair de casa, verifique qual é o aeroporto e o terminal do seu embarque. Algumas cidades possuem mais de um aeroporto e em alguns deles a distância entre um terminal e outro é grande, necessitando de algum tipo de transporte para locomoção.

Uma dica que pode até parecer óbvia, mas evita grandes problemas, é sair cedo de casa ou do hotel, se estiver retornando para sua cidade natal. Vá com antecedência para o aeroporto, já que imprevistos, como trânsito e grandes filas, podem acontecer. Melhor esperar no aeroporto tranquilamente e ter a garantia de que irá embarcar.

Para ganhar ainda mais tempo, uma dica é realizar o check-in anteriormente. Graças à internet e aos smartphones, essa tarefa ficou ainda mais fácil. É possível fazer check-in até 24 horas antes do seu voo. O processo, na maioria das vezes, é feito pelo aplicativo das companhias aéreas. Através dos apps, é possível gerar o cartão de embarque, sem necessidade de impressão.

Depois do check-in realizado e bagagens despachadas, é hora de ir para o portão de embarque. Para agilizar sua entrada, tenha os documentos necessários - cartão de embarque e RG ou passaporte, dependendo do destino - em mãos.

Bagagem
Foto: Divulgação / ABAER
Com as novas regras das franquias de bagagens, é preciso ficar atento ao comprar a passagem. É comum que os valores mais baratos não incluam mais bagagem despachada. Nesses casos, se despachar uma mala for essencial, é preciso comprá-las junto a companhia aérea. Para não se perder nesse sentido, comece conhecendo a diferença entre cada tipo de bagagem.

Bagagem de mão é aquela pode ser levada com o passageiro dentro do avião. Cada companhia aérea possui suas restrições em relação ao peso e volume. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), as bagagens de mão podem pesar até 10kgs. Para evitar perrengues, consulte no site da companhia aérea em questão para saber quais são as dimensões e o volume de bagagem que você pode levar nos voos. Normalmente, é permitido a bagagem de mão mais 1 item pessoal - bolsa, mochila, sacola - por passageiro.

E o que pode levar na bagagem de mão? Tanto em voos nacionais quanto internacionais, você deve levar documentos, dinheiro, aparelhos eletrônicos e itens de valor. Remédios podem ser transportados com receitas médicas. A bagagem não poderá contar pontiagudos, cortantes ou de ponta arredondada que possam ser usados para causar ferimentos (alicates de unha, canivetes, por exemplo).

Em voos internacionais, as restrições incluem os líquidos. Todos eles, inclusive gel, pasta, creme, aerossol e similares, devem ser conduzidos em frascos com capacidade de até 100 ml e colocados em embalagem plástica transparente, vedada, não excedendo as dimensões de 20 x 20 cm.

Já a bagagem despachada é a mala que vai no porão do avião e é entregue a companhia aérea na hora do check-in. O passageiro pega sua bagagem no destino final - ou em conexões, dependendo do que seja informado pela companhia - no momento do desembarque.

Caso sua passagem não inclua uma bagagem despachada, os valores para adquirir a franquia variam entre as companhias e podem custar entre R$ 60 e R$ 120. Comprar a bagagem de forma antecipada, através do site ou aplicativo da companhia, sai mais barato do que comprar no balcão de check-in.

Documentação
Foto: Divulgação / Agência Brasil
Sem os documentos necessários, não há viagem. Para os destinos nacionais, é preciso ter em mãos o RG ou Carteira de Motorista. Para viagens internacionais, é necessário um passaporte com validade de pelo menos três meses da data do retorno da sua viagem. Alguns países, como Austrália, Tailândia e Turquia, por exemplo, exigem seis meses a partir da data de volta.

Além disso, alguns destinos específicos exigem vistos e certificado de vacinação. Países como Estados Unidos e Canadá exigem visto para a entrada de brasileiros, e destinos como Uruguai, pedem o certificado de vacinação contra a febre amarela.

Outro documento importante, que em alguns casos não é obrigatório, mas é essencial, é o seguro viagem. Com a aquisição do seguro, imprevistos ligados a saúde são cobertos. Ele funciona como um plano de saúde, e ainda cobre outros imprevistos, como extravio de bagagens.

O seguro custa bem menos do que eventuais despesas que você viria a ter caso precise ir a um médico ou hospital fora do país. O serviço pode ser contratado com empresas especializadas em seguros, ou com o próprio banco do cliente. Com o seguro fechado, durante a viagem tenha em mãos o contrato do seguro escolhido. Além de haver a possibilidade de ser exigido na imigração do país de destino, ele será útil em caso de emergência para entrar em contato com a empresa do seguro.

Imigração
Foto: Divulgação / Inframérica
A hora da imigração assusta muitos viajantes. O que perguntarão? O que mostrar? No entanto, com os documentos certos, o processo se torna bem simples. A imigração em aeroportos é uma fiscalização que acontece aos passageiros de voos internacionais. Todos as pessoas, tanto na entrada quanto na saída de um país, devem passar pelo controle migratório quando fazem uma viagem internacional.

Quando for chamado pelo agente, você deverá apresentar o passaporte ou, em casos de países do Mercosul, o documento de identidade, e deverá informar ao agente qual é seu destino final ou de onde está vindo, qual é o propósito da viagem (se é turismo, trabalho...), com quem está viajando e quanto tempo ficará no local.

Se você estiver viajando com familiares – mãe, pai, filho(s) ou cônjuge – vocês poderão se apresentar e ser atendidos em grupo.

Ajuda de uma agência
Se você se sente mais seguro tendo alguém resolvendo todas essas questões anteriores à viagem para você, o ideal é contratar uma agência de viagem, como a Mascaro Tour.

Flávia Curvelo, gerente da Mascaro, explica que a agência auxilia em todo o processo. "Damos assistência para o cliente em tudo, desde a elaboração do roteiro, que nós fazemos personalizados, para cada cliente, até os documentos e o check-in. Inclusive, se os clientes não tiverem o documento, a gente facilita o processo da emissão do passaporte, do visto, damos as coordenadas, agendamos se for necessário".

Com a experiência de quem trabalha no ramo, Flávia destacou duas dicas extras para evitar problemas nas viagens.

"Sempre viaje com excesso de documentos. Por exemplo, a pessoa vai viajar para os Estados Unidos com conexão no Panamá. A conexão não exige que a pessoa tenha o certificado de vacinação contra a febre amarela, já que ela não vai ficar no Panamá. No entanto, se acontecer de o aeroporto do Panamá fechar e você precisar dormir uma noite no país, você precisará desse certificado. Então aconselhamos que os clientes tenham isso em mãos", explica.

"Outra coisa que aconselho muito é, se for viajar para fora do país, deixar uma cópia do passaporte com alguém no Brasil. Se for roubado ou perder durante a viagem, ter uma cópia torna o processo mais fácil", completa.