Cinema

‘Dois Papas’ já é um dos melhores filmes da Netflix

Dirigida por Fernando Meireles, história fala da era pós-João Paulo II

Heyder Mustafá* ((heyder.mustafa@redebahia.com.br))
- Atualizada em


O efeito hipnotizante é imediato. Basta apertar o play para ficar vidrado nesta nova produção da Netflix, que tem a direção do grande Fernando Meireles. Famoso internacionalmente por ‘Cidade de Deus’, o brasileiro conquistou novamente o mundo do cinema e a crítica especializada com a história dos papas Bento XVI e Francisco, numa era complicada para a Igreja Católica, após a morte de João Paulo II e a avalanche de escândalos envolvendo a Santa Sé. Forte, sensível, com doses precisas de humor e mensagens necessárias, este, sem dúvida, já pode figurar na seção de melhores filmes da plataforma de streaming.


São inúmeros os pontos positivos da trama, mas dois se destacam de forma mais explícita: a qualidade do texto e as incríveis atuações. Roteirizado por Anthony McCarten – o mesmo de ‘Bohemian Rhapsody’ e ‘O Destino de uma Nação’ – o filme é de uma riqueza de conteúdo sem igual. Sem titubear, McCarten apresenta uma abordagem firme, real e ao mesmo tempo humana de todo o processo de sucessão no Vaticano, tocando em temas difíceis, como corrupção e pedofilia. Sem apontar culpados, ele prefere usar as dificuldades enfrentas pela Igreja como pano de fundo para diálogos inspiradores e tocantes.

A fluidez das conversas que acontecem entre os protagonistas dá um caráter humano às personagens, o que acaba seduzindo o público e deixando a história ainda mais interessante. Entre drama e humor, Bento XVI e Francisco vão divergindo sobre vários temas ao tempo que tentam chegar a um entendimento para o bem da instituição e dos fiéis. É bonito de ver!

O texto primoroso é interpretado com leveza e inspiração pelos dois grandes atores escalados para os papéis: Jonathan Pryce e Anthony Hopkins. Fisicamente idênticos aos papas, eles emprestam todo o talento para deixar o filme ainda mais real. Hopkins, mais sisudo, interpreta o papa alemão cansado e certo de suas convicções. Pryce dá vida ao angustiado, ansioso e delicado Cardeal Bergoglio. Fiéis à arte, eles impressionam até mesmo os mais céticos.

‘Dois Papas’ é mais do que um filme sobre o catolicismo. É um retrato de como o respeito, a tolerância e o diálogo podem achar espaço mesmo em meio a opiniões controversas e momentos delicados. Vale cada minuto e é para ser visto e revisto por todos e a qualquer época.

Heyder Mustafá é jornalista e produtor cultural formado pela UFBA, editor de conteúdo da GFM e Bahia FM, apresentador do Fala Bahia e apaixonado por cinema, literatura e viagens.