TV

Família de Vanderson, do 'BBB 19', diz: 'Não existe um veredicto final da justiça'

Biólogo foi acusado por três mulheres de agressão física, estupro e importunação

Agência O Globo

Tiago Leifert pegou os participantes do "Big Brother Brasil 19" de surpresa ao anunciar que Vanderson foi desclassificado por ter contato com o mundo externo. A família do participante se pronunciou nas redes sociais.

Foto: Reprodução
"Infelizmente nosso herói acriano foi desclassificado do jogo. Lembrando que não existe um veredicto final da justiça. Decidiram eliminá-lo devido ao contato com o mundo exterior, que fique claro — o que não faz parte ou é permitido segundo as normas do contrato e programa. Lamentamos muito o ocorrido e acreditamos no melhor para ele. Sabemos que coisas incríveis esperam por ele aqui fora e os familiares e amigos irão recebê-lo de braços abertos", diz o texto.

O apresentador do reality resumiu as explicações aos participantes:
"Por uma questão jurídica, o Vanderson teve que sair do confinamento e ter contato com o mundo exterior. Por isso, ele está desclassificado. O jogo segue para vocês, vida que segue na casa. Façam as malas dele, imediatamente e coloquem na dispensa".


Entenda o caso
Vanderson foi acusado por três mulheres de agressão física, estupro e importunação. A pedido da delegada Juliana de Angelis, da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Rio Branco, no Acre, onde os boletins de ocorrência foram feitos, a delegada Rita Salim, da Deam de Jacarepaguá (Rio de Janeiro), vai interrogar o acreano.

— Ele vai ser ouvido na delegacia. Vamos colher todas as informações para repassar à delegada de Rio Branco. Não temos mandado de prisão contra ele. Essa é uma fase de interrogatório — afirma Rita Salim.

A delegada titular da Delegacia de Atendimento à Mulher de Rio Branco (Deam-Acre), Juliana de Angelis Carvalho, já recebeu o advogado da família do acreano para tratar do assunto e, segundo ela, "a prisão preventiva tem que ter vasta materialidade e, inicialmente, não é este o caso".

— Ele está sendo investigado, não condenado. Avalio todo tipo de prova, principalmente porque os casos ocorreram há mais ou menos dois anos. Estamos levantando testemunhas, fotos, imagens... Tudo que possa ser anexado aos autos — explica a delegada.

Segundo Juliana, a ex-namorada de Vanderson, que o acusa de agressão física, relatou que ele era muito sociável e carismático em público.

— Ela contou que, num momento contrariado, ficava agressivo. Houve uma única agressão física e, depois disso, eles romperam — entrega Juliana de Angelis Carvalho, que acrescenta: — São casos que aconteceram há quase um ou dois anos. Uma das vítimas é ex-namorada, e as outras duas são pessoas que ele não tinha relacionamento anterior. Uma dessas (vítimas) o acusa de estupro. Estamos apurando como tudo aconteceu. O sexo pode ser consensual e, no decorrer do ato, a mulher pode não querer mais algo e acaba sendo obrigada a fazer. Isso, também, é entendido como estupro.

Na semana passada, A TV Globo se pronunciou sobre as acusações contra Vanderson e, em nota, disse:

"A Globo é veementemente contra qualquer tipo de violência, mas cabe às autoridades competentes a apuração de denúncias como a que está sendo feita. Se assim for, a Globo poderá tomar medidas, como já fez em outras edições do programa".

O que diz a defesa

Renato Lopes da Cruz, um dos três advogados que cuidam do caso, argumenta que são acusações infundadas:

— Tudo isso é um absurdo! Diferentemente dos casos da mídia, como João de Deus e Roger Abdelmassih, por exemplo, que são pessoas com influência na sociedade, Vanderson é um simples profissional da área indígena e não oferece perigo a ninguém. Então, não tem essa de que não denunciaram na época por medo. Fizeram isso para prejudicá-lo — critica Renato Lopes da Cruz, que adianta ainda sobre a estratégida no depoimento: — Ele pode se negar a falar, mas vou orientá-lo a falar tudo. Não tem motivo para Vanderson, que é inocente, se calar.