Cinema

Filme A Repartição Pública revela burocracia estatal

Estreia brasileira mistura ficção científica com boa dose cômica e traz o trapalhão Dedé Santana no elenco

Da Redação, Correio 24h (redacao@correio24horas.com.br)
Não é todo dia que se vê uma ficção científica brasileira. É bem verdade que A Repartição do Tempo tem uma boa dose cômica, mas é muito mais uma ficção. O filme se passa em Brasília, na década de 1980. O Doutor Brasil, vivido por Tonico Pereira (o Mendonça de A Grande Família), deseja registrar sua mais nova invenção e, para isso, vai até o Repi (Registro de Patentes e Invenções).
Foto: Divulgação
O órgão público está passando por uma crise depois de uma reportagem negativa sobre a instituição, que saiu na capa de uma revista como exemplo da burocracia estatal. O dia a dia do Repi vira de cabeça para baixo depois que, acidentalmente, um funcionário aciona a invenção do Doutor Brasil e descobre tratar-se de uma máquina do tempo, levando os membros da repartição a uma viagem ao passado. O filme é ainda uma boa oportunidade para matar as saudades do trapalhão Dedé Santana, que participa como um policial.

Horários de exibição
UCI Orient Shopping da Bahia - Sala 1: 13h05, 17h05, 21h10, 23h20 (sextas, sábados, domingos e vésperas de feriados)