Música

'Foi um mau-entendido', diz Beto Jamaica sobre saída de Compadre Washington do Tchan

Cantor está com o novo projeto 'Movimento do Beto', junto com os irmãos e sobrinhos

Priscila Morais* (priscila.morais@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Na manhã desta quinta-feira (30), o cantor Beto Jamaica participou do Fuzuê, da Bahia FM, e falou sobre o novo projeto 'Movimento do Beto'. O trabalho, reúne, além do músico, Jean Oliver, Negão Jamaica, Caboquinho Movimento, Juninho Movimento e Pagode da Choca.

Foto: Reprodução | Instagram
"A gente reuniu os meninos talentosos que precisava dessa força e eu disse: bora pra frente. Vamos gravar uma música nós seis cantando e vamos pro palco nós seis também. E aí veio a ideia de cantar uma música 'diferente', que é trazer o samba da Bahia, com a Música Popular Brasileira. A gente canta de Djavan até Riachão", afirmou.

O single “Rosas Vermelhas”, composição de Sérgio Roberto e Paulo Jorge, é o pontapé inicial do projeto. Com uma letra romântica, a canção é dona de um ritmo contagiante e que promete conquistar os amantes da música e do samba. "A música 'Rosas Vermelhas' tem a ideia de trazer o romantismo de volta. Homens, por favor, voltem a escrever cartas e mandar flores para as meninas. O amor à moda antiga nunca acaba", disse Beto. 

Quando anunciou o novo projeto, a imprensa e os fãs especularam que ele deixaria os vocais do É o Tchan, mas o cantor enfatizou que, apesar da saída de Compadre Washington, ele continua no grupo. "Quero deixar claro que estou firme e forte com o 'É o Tchan'. Graças a Deus nossa agenda está cheia e o Movimento do Beto não tem nada a ver com eles", pontuou. Sobre a saída de Compadre, Beto revelou que não houve nenhuma briga com o parceiro: "foi um mau-entendido que aconteceu. Compadre tá bem no 'Tchan'. Ali é o nosso filho, e a gente não pode abandonar o nosso filho e graças a Deus estamos indo muito bem". 

A estreia do 'Movimento do Beto' acontece no dia 03 de setembro, a partir das 19h, no D+ Bar e Restaurante, antigo espaço Nilton César, situado no Garcia. Para a ocasião, a turma programa um repertório exclusivo, a exemplo de “Flor de Lis”, “Caça e Caçador” e “Assim Caminha a Humanidade”. 

* Sob supervisão do repórter Guinho Santos