Música

Gabriel Gonti lança clipe gravado na capital baiana da música 'Menina Salvador'; assista

Em entrevista ao iBahia, o cantor revelou detalhes sobre a inspiração da música

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O cantor Gabriel Gonti lançou nesta sexta-feira (19), o clipe, gravado na capital baiana, da música 'Menina Salvador'. A canção integra o EP AMARÉ e o vídeo conta com a participação da modelo baiana Aila Vitória (assista abaixo).

Foto: Divulgação/Enrico Boimond
Com quase 5 anos de carreira, Gonti coleciona vários clipes, short films e participações especiais como a da cantora Ana Gabriela, em seu single “A Gente Se Dá Bem” (2019) e em “Nuvens” (2020) com participação da dupla OUTROEU. Em seu canal do YouTube conta com mais de 32 mil inscritos e 90 mil visualizações.

Em entrevista ao iBahia, o cantor deu detalhes sobre a criança da música, das referências da música baiana e da cena musical atual. Confira!

De onde surgiu a ideia do clipe e da música?

A música Menina Salvador foi composta por mim e pelo meu tecladista e amigo Leo Costa durante a pandemia. Eu já tive vários relacionamentos que passaram pela Bahia, a música faz uma alusão à essas histórias, e não a uma única delas. O clipe não poderia ser gravado em outro lugar, nós tivemos o privilégio de encontrar a Aila Vitória, modelo e atriz que contracena comigo no clipe.

A gente quis retratar o que há de mais belo em Salvador, a diversidade cultural, musical, as construções históricas no pelô, passamos pelo forte de Santa Maria, pelo Farol da Barra, pela feira de São Joaquim e finalizamos, em forma de gratidão, na igreja do Senhor do Bonfim. Um clipe de um casal que celebra as belezas da vida, da música, e da nossa primeira capital Salvador. Tenho o prazer de cantar essa música e enaltecer a cultura baiana, talvez pelo fato de ser um mineiro que não tem o mar aos seus pés.

Quais são suas principais referências baianas musicais?

Eu cresci ouvindo meu pai cantar Caetano, Gil, Raul Seixas, Moraes Moreira, dentre outros gigantes. Isso me fez querer virar cantor, daí fiquei enchendo o saco do meu pai pra me dar um violão aos meus 12 anos de idade.

Foi o começo da história, além das referências do meu pai, que se estendem à mim, eu sou encantado com a magia e pureza que o Saulo canta e vive a vida, uma grande referência de cantor e ser humano.

Como você enxerga o cenário da música atual para quem está no começo de uma carreira artística?
A cena musical é para aqueles persistentes, a antiga fantasia artística de apenas compor belas letras e jogar pro mundo, atrelado a força de gravadoras e empresários, não existe mais.

Hoje o cantor é o seu melhor gestor, sinto que o número de artistas tem aumentado, e o meu conselho para uma carreira perdurar é ter mais zelo com o que você entrega ao público. Estudar mais, canto, instrumentos, produção musical, se conectar com pessoas que te engrandecem como artista e como pessoa.

O que te inspira?
O que mais me inspira na vida é a busca constante pela evolução, digo isso quanto seres humanos imperfeitos que somos. Devemos enaltecer nossos pais, sermos cordeais com as pessoas, companheiros, livre de vícios, amar o nosso país, sermos fieis aos nossos propósitos de vida.

Além de questões existencialistas, o que me faz escrever na música são meus relacionamentos, com amigos, mulheres, com a natureza e com a minha família, a junção disso tudo é inspiradora!

Assista o clipe: