TV

Globo compra direitos de livro sobre goleiro Bruno e a morte de Eliza Samudio

O assassinato da modelo e atriz teve repercussão nacional e internacional

Agência O Globo

 A Globo confirmou nesta quinta-feira (9) que comprou o direito do livro ''Indefensável — O goleiro Bruno e a história da morte de Eliza Samudio'', da editora Record, e que possui o desejo de desenvolver uma série sobre este e outros crimes.

Conforme noticiado na coluna do jornalista Léo Dias, do UOL, a Globo estaria desenvolvendo um seriado sobre o caso envolvendo o ex-goleiro do Flamengo, que foi condenado a 22 anos de prisão após assassinar Eliza Samudio em 2010. Ainda de acordo com a reportagem, atriz Vanessa Giácomo estaria confirmada no papel da vítima.

Procurada pelo EXTRA, a Globo confirmou que comprou os direitos do livro, dos jornalistas Leslie Barreira Leitão, Paula Sarapu, Paulo Carvalho, assim como também obteve os direitos de outras obras sobre crimes.

''Compramos o direito não só deste livro, mas de vários outros e de vários outros casos, pois existe o desejo de fazermos uma série sobre crimes'', explicou.

No entanto, a emissora negou que o seriado sobre o caso Eliza Samudio já esteja sendo desenvolvido ou que Vanessa vá interpretar Eliza: ''Não há nada desenvolvido, escrito, nem aprovado sobre nenhum dos casos possíveis.''

O assassinato da modelo e atriz teve repercussão nacional por envolver o então goleiro titular do Flamengo, Bruno Fernandes. Eliza tinha 25 anos e tinha um filho com o atleta, após se relacionarem em 2009. Depois de conflitos por conta da gravidez e pedidos para que ela fizesse um aborto, Bruno foi denunciado por ela à polícia por agressão. Mesmo após as denúncias, Eliza foi vítima de cárcere privado, estrangulamento e esquartejamento. Além do goleiro, outros suspeitos estavam envolvidos no crime.



O goleiro foi condenado a 20 anos e nove meses de prisão pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza e pelo sequestro e cárcere privado de Bruninho, filho dos dois. Bruno também havia sido condenado por ocultação de cadáver, pena que foi depois extinta, após a Justiça entender que o crime prescreveu. O filho do casal vive com a avó no Mato Grosso do Sul.