Música

Léo Santana, Tony Salles e Xanddy se emocionam com live Encontro: 'Quase na avenida'

No repertório, sucessos memoráveis das carreiras agitaram a noite

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Em 2021, a folia típica de carnaval acontece em casa. Na noite do sábado (14), a Live 'Encontro', sob o comando de Léo Santana, Parangolé e Harmonia do Samba animou a programação dos amantes da folia, que puderam assistir de casa um super show com as três atrações juntas no mesmo palco. Emocionados, os artista celebraram o sucesso do evento.

A Live faz parte do projeto “O Encontro”, que consiste em apresentações simultâneas das bandas. A estrutura também merece destaque: além de muitos leds com efeitos de iluminação, a presença de trio elétricos projetou a energia do Carnaval, impossibilitado de ser realizado fisicamente por conta da pandemia.

“Os nossos corações estão sedentos para voltarmos às nossas atividades. Sabemos que no momento, sem a vacina para todos, não é possível a realização do Carnaval fisicamente. Então a ‘Live Encontro’ foi a alternativa que encontramos de amenizar a saudade de viver as emoções dessa festa tão nossa que é o Carnaval da Bahia”, considerou Xanddy.



”Carnaval tem que ter trio elétrico, né? Então pensamos numa estrutura que representasse  bem essa festa que é a cara da nossa Bahia. Ficou tudo muito lindo e estamos muito felizes com o resultado. A turma de casa mereceu curtir nosso show como se estivesse no meio da avenida” revelou Tony Salles.

No repertório, sucessos memoráveis das carreiras agitaram a noite a exemplo de “Contatinho” e “Abastece Que Ela Desce”, de Léo Santana, “Ela Não Quer Guerra Com Ninguém” e “Abaixa Que É Tiro”, da banda Parangolé e “Pagodão” e “Sacanagenzinha”, do Harmonia do Samba.  

”O repertório desse show é muito especial. Reunimos os maiores sucessos de nossas carreiras num set list pensado especialmente pra nossos fãs e admiradores. Queremos todo mundo cantando junto com a gente até o final da Live. Fizemos um verdadeiro carnaval pra turma de casa. Foi inesquecível!”, concluiu Léo Santana.