TV

'Não canto e nem danço, dou truque em tudo', diz Taís Araújo sobre Mister Brau

Atriz vira diva pop internacional em retorno de série

Naiara Andrade, da Agência O Globo
Empoderamento feminino, decadência, crise no casamento, busca pela própria identidade, guerra de classes, corrupção... Esses são alguns dos temas abordados nos oito episódios da quarta e nova temporada de “Mister Brau”, que estreia nesta terça-feira (dia 24), logo após “Onde nascem os fortes”, na Globo. Agora, os holofotes estarão voltados para Michele (Taís Araújo), enquanto Brau (Lázaro Ramos) sentirá as dores do ostracismo.
— Era natural que isso acontecesse, porque Michele já estava ascendendo na última temporada. A gente foi louco o suficiente para dizer num episódio que o rendimento de Brau era de R$ 14 milhões mensais. Depois daí você vai para onde com o personagem? Só tinha como ele entrar em ruína mesmo... — observa Lázaro, aos risos.

Incomodado com o sucesso retumbante de Michele, Brau começa a se estranhar com a mulher, e o casamento entra em crise. A diva pop internacional passa a ganhar bem mais dinheiro que ele mundo afora. — Imagina você pegar uma sinopse que diz: “Michele em turnê mundial. Shows lotados em Tóquio, no Canadá...”. Pensei: “Essa mulher é realmente incrível!”. E tive que correr muito atrás — conta Taís.
A entrega da atriz nos ensaios para as cenas musicais é exaltada pelo marido e colega de elenco: — Nesses três meses de gravação, Taís se enche mais de trabalho do que naturalmente é pedido. A dedicação dela para fazer as coreografias é uma coisa absurda! Todos os dias, ela repassa as danças, grava e regrava música no estúdio...

Taís minimiza o esforço, e entrega seus segredinhos: — Eu não canto nem danço, então dou truque em tudo. Zebrinha, nosso coreógrafo, pega pesado mesmo. Só que eu descobri que o microfone na mão podia me salvar. Quando Beyoncé está dançando, por exemplo, ela não canta. Claro! É que não dá pra fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Esse é o lance!
O retorno de Priscila
Ao perder a identidade artística, Brau sai em busca de suas origens, e vai de Madureira a Angola, na África. No bairro da Zona Norte do Rio, o público conhece Carmo (Cacau Protásio) e Yasmin (Lellêzinha), respectivamente irmã e sobrinha de Lima (Luís Miranda), além de Priscila (Lázaro Ramos), diva do funk. É a volta da personagem de sucesso do ator na série “Sexo frágil” (2003).

— Essa ideia não foi minha, porque eu sabia o trabalho que isso ia dar... (O autor) Jorge Furtado me contou por telefone, no dia do meu aniversário, quando eu estava bêbado. No dia seguinte, acordei de ressaca e pensei: “Me lasquei!”. Mas, na verdade, eu adorei! Só tinha me esquecido como fazia. Já de peruca e figurino, pedi um tempo e fui à internet rever os trejeitos — diverte-se Lázaro.