TV

Nova fase do Bahia Meio Dia: carisma e sintonia marcam o comando de Vanderson e Jéssica

Em entrevista ao iBahia, Jéssica Senra falou sobre a parceria com Vanderson e as novidades do BMD

Isadora Sodré (isadora.sodre@redebahia.com.br)
- Atualizada em

O fato é um só, mas o que faz a diferença é a forma com que a notícia é passada para o público. Isso Vanderson Nascimento sabe fazer muito bem. A chegada do novo apresentador do Bahia Meio Dia (BMD), em apoio à Jéssica Senra, reforça o traço de carisma no comando do programa e a aproximação do telejornal com o público.

Em entrevista ao portal iBahia, Jéssica Senra contou que a chegada de Vanderson veio para somar e fazer com que o telespectador se aproxime ainda mais do Bahia Meio Dia.

Vanderson Nascimento e Jéssica Senra (foto: Divulgação/Beto Abreu)
"Vanderson é muito talentoso, carismático, um profissional que faz jornalismo com o coração, algo que é uma marca também minha e do BMD. As pessoas se identificam e se conectam muito com ele. Vanderson cria pontes com o público, a gente olha para ele e gosta dele de graça. Ele tem muito a enriquecer com esse talento e com esse coração", pontuou a jornalista.

Para Jéssica, a grande diferença do repórter que está na rua é que ele processa os fatos e quem está no estúdio contextualiza e amplia a notícia.

"Vanderson, por exemplo, diante de um fato que vem da rua, ele vai trazer outras informações e dados e explicar melhor. A minha função é mais analítica, trazer o contexto, explicar o que aquilo significa, como aquilo repercute", explicou Jéssica.

Quanto a rotina, a sintonia é tanta que Jéssica garante que eles se comunicam, na maioria das vezes, apenas com com trocas de olhares.

"A gente chega cedo na redação, conversa com o editor chefe para saber os assuntos que serão tratados no telejornal e cada um tem uma função ali dentro: Vanderson se encarrega de apurar algumas informações exclusivas, já eu cuido de outras coisas. A nossa sintonia é tão boa que quando a gente entra no estúdio a coisa flui. A gente tem as cabeças (textos que introduzem as matérias lidas pelo apresentador antes delas irem ao ar), mas não programamos nada, temos uma sintonia que não precisamos dizer o que a gente deve fazer. A gente se olha e se sabe, é inexplicável", ressaltou Jéssica.

Quanto às mudanças do telejornal, a apresentadora disse que a equipe vem construindo um novo BMD a cada dia.

"O baiano gosta de novidade e nós sempre procuramos um jeito de surpreender o telespectador. A única coisa que não mudou ao longo do tempo foi o nosso compromisso com a informação bem apurada e de qualidade", disse.

Novos quadros
Com a proposta de sempre se aproximar do público baiano e de suas necessidades, a nova fase do Bahia Meio Dia traz cinco novos quadros que buscam estar cada vez mais perto das demandas dos telespectadores.

  • Blog do Emprego

Além de mostrar vagas disponíveis, o quadro vai exibir vídeos encaminhados pelo público oferecendo serviços a serem contratados. Todo conteúdo estará disponível no G1 Bahia, dentro do Blog do Emprego. E lá vai ter conteúdo exclusivo, como entrevistas com especialistas do mercado de trabalho, dicas para quem busca recolocação.

  • Espaço da Solidariedade

A pandemia reforçou no baiano o sentimento de solidariedade. O BMD vai conectar quem precisa de ajuda e quem quer ajudar neste momento tão difícil.

  • Parceiros BMD

Estudantes de comunicação e moradores de bairros de Salvador vão mostrar no BMD as histórias do cotidiano das comunidades onde vivem.

  • Talentos da Comunidade

O quadro vai revelar os talentos anônimos que estão dentro das comunidades da capital. E a primeira temporada vai apresentar as vozes que encantam dentro de casa, na rua do bairro.

  • Gente Que Dá Certo

Baiano é trabalhador e se vira para encarar qualquer crise. É gente que encontra alternativas para superar desafios e dá certo, virando inspiração e exemplo para quem também precisa de novos caminhos.

Segundo Jéssica, além de aproximar e fazer pontes, a ideia é que esses novos quadros mostrem o que a Bahia tem de melhor. "Sair do noticiário pessimista e trazer o amor, o otimismo, o acolhimento para o nosso público. Sem esperança e sem fé é difícil prosseguir"

Jéssica ainda reforçou o papel do jornalismo e do telejornal na vida das pessoas. "Fazemos o jornalismo que se importa e enxerga as pessoas e por isso que trabalhamos com o servir. As minhas opiniões às vezes são contundentes e tem a ver com isso de chamar a atenção para que a gente enxergue mais o outro", disse a jornalista.