Turismo

Novo conceito de assento em aviões promete facilitar sono na classe econômica

Usando 'asas acolchoadas' que se dobram nos dois lados do encosto, um novo modelo desenvolvido permite privacidade adicional

Agência O Globo
Quem nunca lutou para dormir em um assento da classe econômica do avião? Um novo design de poltrona surge agora como solução para esse problema a bordo. Usando "asas acolchoadas" que se dobram nos dois lados do encosto, um novo modelo desenvolvido permite privacidade adicional e um local confortável para recostar e apoiar a cabeça. A criação — batizada de "Interspace" — é da Universal Movement, braço da empresa New Territory, com sede em Londres. O teste foi feito pela CNN Travel.
A Interspace é uma criação de Luke Miles, fundador e diretor de criação da New Territory. Ele passou três anos trabalhando como chefe de design da Virgin Atlantic, para conhecer os interiores de suas aeronaves. Uma de suas constatações foi que os projetos inovadores de cabines de avião geralmente se concentram em negócios ou experiências de primeira classe. Por isso, Miles quis criar uma maneira de tornar os assentos baratos mais confortáveis.
Foto: Reprodução/CNN
As asas da Interspace dobram-se manualmente para dentro e para fora da cadeira. No lançamento de Londres, havia dois assentos em exibição, um na posição reclinada, e o outro, na vertical. O passageiro pode utilizar uma ou as duas, de acordo com sua preferência.
"Sentado no banco com as duas asas para cima, ganho privacidade e mal percebo o vizinho. Encostar-se em uma asa, como você faria se tentasse dormir, também é confortável. Embora pareça caótica a possibilidade de toda a cabine de passageiros abrir as asas ao mesmo tempo, seria ótimo ter essa capacidade de mudar as posições durante um longo voo", disse Miles.
Em sua criação, o designer eliminou completamente os apoios de cabeça, lembrando que as cadeiras de casa ou do escritório normalmente os não têm.
Modelo exposto
O protótipo do assento exposto no lançamento da Interspace foi feito em fibra de carbono, mais leve, mas as "asas acolchoadas" podem ser ajustadas na maioria das poltronas de avião já existentes, independentemente do material de que são feitas. Miles disse que já está conversando com algumas companhias que teriam demonstrado interesse em sua criação.
No futuro, a ideia é também acrescentar ao modelo a tecnologia de reconhecimento facial. A intenção é que, quando a asa do assento reconhecer que o passageiro dormiu, o sistema desligue automaticamente o filme exibido na tela à sua frente.
"Tratam-se de facilitadores tecnológicos muito sutis, para fazer com que tudo pareça um pouco mais agradável", diz Miles.