Cinema

'O Rei Leão': saiba o que os críticos andam dizendo sobre nova versão

Filme estreia na quinta-feira (18), aqui no Brasil

Agência, O Globo

Falta menos de uma semana para a estreia do remake de "O Rei Leão", no dia 18 de julho. Porém, quem já está curioso para saber o que o diretor Jon Favreau fez com o universo de Simba, Scar, Timão e Pumba, pode conferir o que a crítica internacional anda falando sobre o filme.

A releitura do clássico de 1994 também se concentra na jornada de Simba para se tornar rei. O filme conta com um elenco estrelado composto por Donald Glover (Simba), Chiwetel Ejiofor (Scar), Beyoncé (Nala) e Seth Rogen (Pumba), entre outros.

Foto: Reprodução

Em grande parte, os críticos concordam que o filme está visualmente impressionante e fez belas recriações de cenas da animação dos anos 90. No entanto, há comentários divergentes, com alguns alegando que o remake não transmitiu a atmosfera épica do original.

Leah Greenblatt, da "Entertainment Weekly", se impressionou com a natureza realista do filme. "O Rei Leão de 2019 é uma maravilha do fotorrealismo, quase indistinguível da realidade; parece o "O Nosso Planeta" da Netflix ( série sobre o mundo animal ), se as gazelas pudessem dividir os refúgios com seus predadores, e as zebras começassem a cantar vez ou outra".



Na mesma linha, a jornalista Kirsten Acuna elogiou os efeitos visuais do longa em sua resenha na "Insider's". "A sequência de abertura é um dos vários momentos icônicos do filme que é refeito tão perfeitamente que você pode ter arrepios", escreveu Kirsten. "Se eu não soubesse que os leões eram CGI ( computação gráfica ), eu teria acreditado que eles eram reais."

Por outro lado, Bilge Ebiri, do "Vulture", criticou a icônica cena de abertura, em que todos os animais se reunem para se curvar diante do filhote de leão recém-nascido Simba. Segundo o crítico, devido à natureza hiper-realista do filme, a cena não soa "épica ou em emocionante, como aconteceu em sua versão fantástica e animada. Ele soa enjoativamente autoritária".

Ebiri também questionou o desempenho de Donald Glover como Simba e Beyoncé como Nala. Segundo o crítico, a estrelas acabam distraindo os espectadores da história dos personagens. "A leoa falante pode parecer realista, mas quando ouvimos seu diálogo, tudo o que imaginamos é Beyoncé em uma cabine de gravação lendo o texto."

Todd McCarthy, do Hollywood Reporter, destacou a representação do personagem Scar ("Como sempre acontece, o vilão aqui é indiscutivelmente a figura mais interessante", escreveu) e elogiou a interpretação de Chiwetel Ejiofor. "Parte disso é atribuível ao trabalho vocal de Ejiofor, que mistura ameaça com uma medida igual do que parece ser um genuíno cansaço do mundo", afirmou o crítico.

Atualmente o filme tem 59% de aprovação no site "Rotten Tomatoes" que compila críticas de diferentes publicações internacionais.