Turismo

Oito destinos baratos para quem quer um refúgio pelo Brasil

Cidades históricas, grutas, cachoeiras e muitas opções de passeios fora do óbvio se misturam em cantos do país para quem quer um refúgio baratinho para escapar das cidades

Iza Fernandes e Vanessa Brunt, do Não Óbvio

 

O final do ano está chegando e uns dias de descanso para recarregar a energia e começar 2020 com o astral lá em cima é o sonho de muitos.

Com a alta do dólar, as viagens internacionais nem sempre cabem no bolso e, mesmo pelo Brasil, alguns destinos se tornam inviáveis pelos altos preços praticados na alta temporada do verão nacional.

Mas os apaixonados por viagens, podem explorar belezas naturais do país que vão para muito além dos destinos mais visitados. O interior do Brasil traz, em diversos cantos, roteiros que garantem diversão e tranquilidade sem pesar no bolso.

1-Socorro (São Paulo)

A cidade, que fica a 138 km de São Paulo, é um destino barato e encantador para a família, casais ou grupos de amigos. Socorro mescla aventura e diversão com a tranquilidade do interior e clima agradável no verão.

Foto: reprodução / Não Óbvio
Os amantes de aventura encontram em Socorro diversas opções de trilhas, raftings no Rio do Peixe, cachoeiras e circuitos de arvorismo, entre outras atividades recheadas de adrenalina e experiências surpreendentes em contato com a bela natureza do lugar.

Quem procura sossego pode passear tranquilamente pelo centro histórico, onde está o antigo Casarão Alcindo de Oliveira Santos, que é uma galeria de artes e artesanato e também residência do artista plástico que empresta o nome ao local.

Além disso, o Museu Municipal, juntamente com o Palácio das Águias e a antiga Estação Socorro, merece uma visita, bem como uma ida às malharias da cidade (que trabalham com preços convidativos).

O Mirante Pedra da Bela Vista oferece um espetáculo de pôr do sol imperdível regado a música ao vivo. Na Gruta do Anjo, o passeio de pedalinho pela piscina natural de águas cristalinas (entre as formações rochosas) traz um visual de tirar o fôlego.

Foto: reprodução / Não Óbvio
SERVIÇO:
Onde comer: Restaurante Temperinho no Centro  e Sal&Pimenta, ambos oferecem diversas opções de pratos, incluindo vegetarianos.
Onde ficar: Pousada e Restaurante Santo Antônio (a partir de R$ 238: diária para 2 hóspedes)  e Guappo Chácara Hostel  (a partir de R$ 112: diária para 2 hóspedes). A cidade oferece também opção de Cabanas Soft Camping no valor de R$ 200, com diária para 2 hóspedes.
Para mais informações de hospedagem, restaurantes, passeios e acesso, consulte: site| Facebook | Instagram

MAIS PREÇOS:
Museu Municipal: entrada gratuita
Gruta do Anjo: R$ 30 a entrada e o passeio de pedalinho está incluso no valor. Há instrutor no local.
 Mirante Pedra da Bela Vista: entrada por R$ 25

2- Cordisburgo  (Minas Gerais)

A pequenina cidade de Guimarães Rosa mistura literatura e natureza em cenários que passeiam pela poesia e irreverência como a Casa Elefante, projeto de Tazico, pedreiro que aliou a prática ao talento de escultor e inovou criando uma construção fora do comum.


Foto: reprodução / Não Óbvio

A pacata Cordisburgo fica situada a 120 km da capital mineira, Belo Horizonte. A cidade que respira Guimarães Rosa surpreende com atrações que encantam os turistas e não pesam no orçamento.

A casa onde nasceu o escritor, no ano de 1908, é hoje o Museu Casa Guimarães Rosa. Visitar o lugar é fazer uma viagem poética no tempo pelas obras do autor.

O espaço transborda inspiração em poemas e frases de sua autoria por todos os cantos. Manuscritos, documentos, roupas e utensílios, como a sua máquina de escrever, também fazem parte do acervo.

Cordisburgo ainda guarda outras surpresas como o visual da Gruta de Maquiné que impressiona os visitantes ao longo dos seus 400 metros de extensão recortados por esculturas e estalactites no teto.

A cidade, que parece ter parado no tempo, surpreende com o Museu da Gruta de Maquiné. Interativo e moderno, o espaço possui ambientes próprios para o público infantil.

O Museu fica junto á gruta e abriga réplicas descobertas por Peter Lund (naturalista dinamarquês), responsável pelos registros da vida pré-histórica na região das grutas.

O Zoológico de Pedra Peter Wilhelm Lund, criação de Tazico, homenageia o cientista dinamarquês com a exposição original de animais como preguiça-gigante, tatu-gigante, tigre-dente-de-sabre, preguiça-pequena e mastodonte, produzidos a partir de telas, areia e cimento.

Foto: reprodução / Não Óbvio
SERVIÇO:
Onde comer: Restaurante o Ponto do Peixe onde tem apresentação de cantores locais. | Sarrapalha , gastronomia mineira no fogão à lenha.
Onde ficar: Pousada Domiciliar Vital (a partir de R$ 130: diária para 2 hóspedes) e Hotel Chico Luzia (a partir de R$ 140: diária para 2 hóspedes).
Para mais informações de hospedagem, restaurantes, passeios e acesso, consulte: site| Facebook  | Instagram

MAIS PREÇOS:
Casa Elefante: R$ 4 a entrada a partir de 12 anos de idade. Menores de 12 anos, entrada gratuita.
Museu Casa Guimarães Rosa: entrada gratuita. Pede-se apenas uma doação para manutenção do lugar.
 Gruta de Maquiné: R$ 25 a entrada. Crianças até 5 anos e pessoas com mais de 60 anos não pagam. Estudantes pagam meia entrada.
Museu da Gruta de Maquiné: entrada inclusa no valor pago acima
Zoológico de Pedras Peter Lund: entrada gratuita. Fica em uma praça da cidade.

3- Itá (Santa Catarina)

A cidade original de Itá foi submersa pelo rio Uruguai para a construção da Usina Hidrelétrica em 1997, deixando visível apenas duas torres da antiga igreja que revelam um cenário de cartão-postal e formam uma das atrações do lugar.

Foto: reprodução / Não Óbvio
A pequena Itá fica a 63 km de Chapecó e a 43 km de Concórdia. Localizada ao lado do Lago no Rio Uruguai, a cidade é dona de paisagens surpreendentes com opções para quem gosta de esportes aquáticos e aventura e também para os amantes da tranquilidade interiorana.

A Tirolesa do Farol é uma das atrações da cidade, regada a adrenalina e paisagens de tirar o fôlego. Ela atravessa o lago e ocupa o segundo lugar em percurso no Brasil com seus 1.628,50m de extensão, brindando os aventureiros com cenários paradisíacos e muita emoção.

O Parque Zoobotânico oferece diversão e contato com a natureza em seus 1.800m de trilhas pavimentadas e bem sinalizadas, além disso, suas pontes pênseis (pontes suspensas sustentadas por cabos ou tirantes), que ficam em passagens sobre vales e riachos, acrescentam pitadas de adrenalina e encantamento na travessia.
Foto: reprodução / Não Óbvio
Uma boa pedida em Itá é o passeio de escuna ao entardecer para apreciar o pôr do sol durante o tour que sai da prainha da cidade e vai até as proximidades da barragem da Usina. No caminho de volta, as torres da Igreja, iluminadas pelas luzes de led, revelam uma paisagem cinematográfica.

SERVIÇO:
 Onde comer: Cachaçaria Simon, onde se apresentam músicos locais.
 Onde ficar: Além da opção do Ita Thermas Resort , a cidade conta com opções em conta de hospedagem como o Camping Pousada Nova Itá e a Pousada Nova Itá.
 Para mais informações de hospedagem, restaurantes, passeios e acesso, consulte: site | Facebook  | Instagram

MAIS PREÇOS:
 Tirolesa do Farol: R$ 50 por pessoa. R$25: crianças até 12 anos acompanhadas de responsáveis.
 Parque Zoobotânico: R$ 15 adulto e R$ 7 criança de 05 a 12 anos.
 Passeio de Escuna: a partir de R$ 50 para adulto, incluso transporte ida/volta até o embarque. R$ 20 para crianças de 06 a 10 anos e, gratuito para as de 0 a 05 anos. Somente o passeio, sem transporte até o local de saída: R$ 40.



4- Serrinha do Alambari (Resende)

Um pequeno paraíso de beleza natural quase secreto na região serrana do Rio de Janeiro. Serrinha do Alambari é distrito de Resende e está localizado entre duas charmosas cidades fluminenses: Penedo  e Visconde de Mauá, que podem ser adicionadas ao roteiro de viagem.

Foto: reprodução / Não óbvio
A Serrinha do Alambari fica a 180 km do Rio de Janeiro, no município de Resende (Rio_de_Janeiro). O distrito, com extensão de 57 km² de puro verde e uma beleza natural ímpar, é área de proteção ambiental e um destino encantador no Rio de Janeiro.

As cachoeiras da Serrinha, que ficam na área fora do Camping, impressionam pelas águas azuis e cristalinas e cenários paradisíacos cercados pelas matas nativas.

A cachoeira que leva o nome de Poço do Céu tem duas quedas d’água, uma grande e outra menor, e ambas são um deleite para os olhos, além de oferecer condições para nadar e se refrescar em suas águas da cor do céu.

A Poço do Dinossauro, cercada pela mata nativa, tem uma queda de água exuberante e gelada. O acesso até as cachoeiras é feito por trilhas que pedem atenção, pois têm trechos escorregadios.
Foto: reprodução / Não óbvio
Na área do Camping, mais poços e trilhas esperam pelos visitantes. As trilhas no local são bem sinalizadas e não há a necessidade de guia. Entre os poços, o Esmeralda atrai a atenção pela beleza de suas águas verdes da cor da pedra, a qual empresta o nome ao local. Além dele, o Poço da Sauna e o Poço de Cima garantem um belo passeio com visuais incríveis.

SERVIÇO:
☌ Onde comer: Restaurante do Camping Clube do Brasil. Cozinha brasileira a quilo.
☌ Onde ficar: Camping Clube do Brasil , conta com boa estrutura e fica próximo das cachoeiras. A partir de R$ 35 para não associados e R$ 12 para associados.
☌ Para mais informações de hospedagem, restaurantes, passeios e acesso, consulte: site | Facebook | Instagram

MAIS PREÇOS:

☌ Cachoeiras fora do Camping: R$ 35 a entrada por pessoa com direito a visitar o Poço do Céu e o Poço do Dinossauro, já que eles estão na mesma fazenda.
☌ Camping Clube: Consulte valores no site.

5. Cambuquira (Minas Gerais)

A Estância Hidromineral de Cambuquira é um refúgio entre as montanhas de Minas e um convite para férias regadas a calmaria e hospitalidade mineira com pitadas de adrenalina em esportes radicais.

Foto: reprodução / Não Óbvio
A charmosa Cambuquira fica no Circuito das Águas, localizada a 319 km de Belo Horizonte, 296 Km de São Paulo e a 950m de altitude. A cidade encanta os visitantes com o clima ameno, suas águas com propriedades terapêuticas e preços acessíveis.

O Parque das Águas com seis fontes de água mineral (ferruginosa, alcalina, magnesiana, sulfurosa, gasosa e com lítio), é uma das atrações turísticas da cidade, seguido das fontes do Marimbeiro e do Laranjal nos arredores da cidade.

Cambuquira, na primavera, ganha flores e o aroma de magnólias que colorem e perfumam a cidade transformando a paisagem das ruas largas e calçadas amplas.

Quem vai a Cambuquira descobre que a cidade, além de ser manancial de águas minerais, é também lugar de adrenalina.
A Serra do Piripau, a 1300m de altitude, é considerada um dos melhores pontos para a prática de vôo livre, sediando campeonatos importantes como o Brasileiro de Paraglider.

Foto: reprodução / Não Óbvio
 Cambuquira oferece ainda trilhas, mirantes e cachoeiras. Outra opção são as também as visitas agendadas a fazendas produtoras de cafés especiais, além do artesanato local e a elogiada gastronomia mineira.

SERVIÇO:

☌ Onde comer: Restaurante O Mineirinho e Restaurante Cambuquira, instalado no pavimento inferior do prédio histórico que abriga o Hotel Cambuquira.
☌ Onde ficar: Pousada Bella Vista (a partir de R$ 120: diária para 2 hóspedes), e Pousada do Duque https://www.facebook.com/pousadadoduque/ (a partir de R$ 160: diária para 2 hóspedes).
☌ Para mais informações de hospedagem, restaurantes, passeios e acesso, consulte: site| Facebook | Instagram

MAIS PREÇOS:
Parque das Águas: Entrada: R$ 1,50
 Rampa de Vôo Livre Pirapau: Consulte valores no site.
 Visitas a Fazenda de Café: Consultas de valores e agendamento de visitas @fazendasantaquiteria   – @sitiodaserracafes /

6- Praia de Santo Antônio (Bahia)

A praia de Santo Antônio é um recanto quase secreto na Linha Verde, que esconde atrações surpreendentes ao longo do seu percurso. O lugar reúne rusticidade e beleza natural em paisagens deslumbrantes.

Foto: reprodução / Não Óbvio
A Praia de Santo Antônio fica a 68 km da Rodovia do Côco, na Linha Verde, que liga Salvador a Sergipe, localizada no município de Mata de São João, a 6 km de Costa do Sauípe.

O lugar é ideal para quem quer fugir do agito da cidade e explorar as surpresas que a Bahia esconde bem ali perto de sua bela capital.

A praia extensa e quase deserta esbanja um visual rústico de encher os olhos, entre belos coqueirais, dunas e o vasto mar de águas transparentes que convidam para um mergulho refrescante.

No local, algumas poucas barracas oferecem uma pequena infraestrutura aos turistas e ao povoado ao lado das dunas.

Santo Antônio é uma das melhores opções para quem busca tranquilidade e paz para relaxar e recarregar as energias em contato com a natureza e a simplicidade.

Foto: reprodução / Não Óbvio
Para chegar a Santo Antônio de carro e parar próximo a praia, não entre no Diogo. Siga mais 2km pela Ba 099 e entre pelo acesso em estrada de terra sinalizado: Vila Santo Antônio do Diogo. Na época da chuva, para chegar a praia é preciso usar automóveis 4×4. Outra opção é ir até o Rio de carro, atravessar a ponte caminhando e fazer a trilha pelas dunas ate a  Praia de Santo Antônio.

SERVIÇO:
 Onde comer: as barracas rústicas servem deliciosos pratos de fruto do mar e até acarajé, além de bebidas. Visite o Restaurante da Dona Maria e seu Chiquito na Vila.
 Onde ficar: Camping Laluart (R$ 30 por barraca/diária)  e  Camping do Luciano (a partir de R$ 10 a diária).
 Para mais informações de hospedagem, restaurantes, passeios e acesso, consulte: site | Facebook| Instagram

MAIS PREÇOS:
 Ônibus: Salvador para Camaçari: R$ 8, o restante do trajeto pode ser feito de táxi a partir de R$ 70.
 Carro: Consumo de combustível a partir de R$ 27.

7. Subaúma (Bahia)


Em Subaúma, a Lagoa Verde, abraçada por coqueiros e restinga, esbanja beleza em suas águas transparentes que mesclam tons de azul e verde, convidando para um mergulho daqueles que revigoram o corpo e a alma.

Foto: reprodução / Não Óbvio
Subaúma fica na bela costa dos Coqueiros, na Linha Verde , 119 km a nordeste de Salvador.

O vilarejo de pescadores pertence à cidade de Entre Rios, mas a praia conta com boa estrutura de quiosques e belezas naturais que são uma atração a parte.

Na ponta esquerda da praia está a foz do rio Subaúma, que forma um cenário espetacular no encontro das águas do rio e do mar, já na área central, pequenas piscinas naturais são formadas na maré baixa, garantindo a diversão de crianças e adultos.

No bairro da Vila de Subaúma, ao Pé da Serra, onde foi construído o cruzeiro centenário Mirante do Cruzeiro, os visitantes são podem curtir uma vista panorâmica de toda a cidade e da vastidão do mar, além de um pôr do sol de tirar o fôlego.
Foto: reprodução / Não Óbvio
 Para chegar a Lagoa Azul caminhe aproximadamente 15 minutos pela praia até o Rio Subaúma. A travessia pode ser feita de barco ou caminhando sobre as águas se a maré estiver baixa. Em seguida, pegue uma trilha de aproximadamente 40 minutos pelas encantadoras dunas de areias brancas e chegue até a Lagoa Azul.

SERVIÇO:
 Onde comer: Marina’s Boteco serve uma empanada de siri deliciosa (75 – 99152-9591) e Petiscaria e Padaria Reis serve pizza, esfihas e lanches, entre outros (75 – 3278-2026).
 Onde ficar: Pousada Praia de Subaúma (a partir de R$ 80: diária para 2 hóspedes).
 Para mais informações de hospedagem, restaurantes, passeios e acesso, consulte: Facebook | Instagram

MAIS PREÇOS:

 Ônibus: Salvador para Entre Rios: R$ 30
 Carro: Consumo de combustível a partir de R$ 55

8. Massarandupió (Bahia)

Massarandupió convida para uma caminhada ou um passeio de bike ao longo da praia, sentindo a brisa e apreciando as palmeiras dançando ao vento. No vilarejo de Massarandupió, as delícias da gastronomia baiana te esperam com os sabores da terra. A praia tem ainda uma extensão de 2 km reservada para adeptos da ideologia naturista e praticantes do nudismo.
Foto: reprodução / Não Óbvio