Cinema

Oito filmes de romance pouco conhecidos para ver na Netflix

Do romance de época até os mais atuais e dos casos reais até os fictícios intensos, confira filmes românticos pouco conhecidos para quem quer chorar e refletir. Veja opções com diversos tipos de relacionamentos e situações que testam o amor e a paixão

Por Vanessa Brunt e Carolina Rodrigues, do Não Óbvio


Por muito tempo filmes de romance seguiam as mesmas fórmulas mágicas hollywoodianas.

Uma delas é a do casal improvável, com a menina mais imatura e o rapaz rebelde, como acontece em Paixão Sem Limites.

Outra fórmula é voltada a alguma doença que faz o espectador cair em lágrimas, como ocorre em P.S. Eu Te Amo.

Atualmente, ainda que muitos cineastas se alimentem dos clássicos, os rumos mais ousados e reflexivos passaram a acontecer com mais frequência, visando também todas as transformações pelas quais estamos passando.

Para quem quer opções pouco conhecidas que mostram diferentes tipos de amor e paixão, o NÃO ÓBVIO separou longas disponíveis na Netflix que mostram como o gênero se aperfeiçoou.

Veja reflexões que podem ser levadas para a vida sem diminuir o seu amor-próprio e perceba a diferença na fotografia e nos temas abordados em comparação ao que já foi muito visto por aí. Confira:

1. Sintonizada em você




Em 1994, no primeiro dia em que o cantor Yoo Yeol se torna o DJ do programa Music Album, Mi-Soo (Kim Go-Eun) conhece Hyun-Woo (Jung Hae-In). Mi-Soo trabalha meio período em uma padaria e Hyun-Woo entra na loja. Ela se encanta por Hyun-Woo à primeira vista e aos poucos um relacionamento romântico se desenvolve. O que não era imaginado é que uma situação complicada iria invadir a vida dos dois.

A trama vai mostrar cada um dos dois protagonistas crescendo ao decorrer dos anos e as transformações do amor em suas diversas fases. Nas caminhadas de autoconhecimento, a produção exibe a busca pela evolução de ambos e deixa mensagens para quem está passando por um romance que muitos podem considerar como impossível.

Alertas sobre não deixar para depois o que deve ser dito agora também aparecem na intensa caminhada do romance. “O impossível é um emaranhado de pequenos possíveis.” (Vanessa Brunt).

☌ Onde Assistir: Netflix
☌ Duração: 2h
☌ Lançamento: 2019
☌ Roteiro: Lee Sook-Yun
☌ Elenco: Jung Hae-In, Kim Go-Eun
☌ Nacionalidade: Coreia do Sul

2. Sadace Sen

A

Sadece Sen, ou em português, Só Você, é um remake do filme sul-coreano Always, lançado em 2011. De todo modo, este fato não anula sua intensidade.

Dentro da narrativa, conhecemos Ali, um ex-boxeador que trabalha como agiota. Após algum tempo, decidido a levar uma vida normal, Ali decide trabalhar, pela manhã, como entregador e, pela noite, como atendente num estacionamento.

Numa dessas noites, ele conhece Hazal, uma jovem esperançosa que sobrevivera a um acidente de carro, mas, em consequência, ficara cega. Ambos carregam sentimentos em comum e o que era uma amizade, torna-se amor.

Ali percebe que não consegue viver sem Hazal, mas problemas do passado atormentam sua vida e impedem que o casal viva plenamente.

Sadece Sen tem uma história emocionante e ao mesmo tempo sutil, conforme coloca em debate temas importantes para os dias atuais. Apesar de ser um drama pesado, que faz o espectador derrubar algumas lágrimas, é uma linda metáfora sobre transformações causadas pelo amor.

☌ Onde Assistir: Netflix
☌ Duração: 1h45min
☌ Lançamento: 2014
☌ Direção: Hakan Yonat
☌ Elenco: Belcim Bilgin, Ibrahim Celikkol, Baris Arduç, Cezmi Baskin, Devrim Yakut, Erol Demiröz, Erol Gedik, Kazim Darmn, Kerem Can, Levent Sülün, Necmi Yapici
☌ Nacionalidade: Turquia

3. Elisa y Marcela

A


Baseado em um caso real, Elisa y Marcela remonta a trajetória apaixonante da primeira união homoafetiva na Espanha.

O fato aconteceu em 1901, período em que o casamento entre pessoas do mesmo sexo era proibido pela Igreja e mal visto pela sociedade. Para conseguirem firmar a união, Elisa Sánchez Loriga assumiu a identidade de um falecido primo.

Assim, ela e Marcela Gracia Ibeas driblaram as normas e fizeram história.

O longa remonta a memória do casal de forma muito graciosa, nas mãos da diretora Isabel Coixet. Desta forma, Elisa y Marcela retrata como elas lidavam com a desconfiança e desaprovação dos vizinhos e como o amor vence todas as adversidades.

Em homenagem a elas, Marcela e Elisa dão nome a ruas em Corunha, província em que moravam.

Elisa y Marcela é visto como um filme tocante, poético e intenso. Inclusive, a trilha sonora e a coloração preto e branca contribuem com a dramaticidade da obra. Este é um longa essencial que, através do tempo, coloca sob reflexão o conservadorismo e patriarcalismo social.

☌ Onde Assistir: Netflix
☌ Duração: 1h53min
☌ Lançamento: 2019
☌ Direção: Isabel Coixet
☌ Elenco: Natalia de Molina, Greta Fernández, Francesc Orella, Tamar Novas, Lluís Homar
☌ Nacionalidade: Espanha

4. Pérolas no Mar



Dois desconhecidos se encontram em um trem e criam um forte vínculo, mas deixam a vida seguir sem muitas atitudes diferentes. Romântico, Jianqing (Boran Jing) é um jovem do interior da China que sonha em se dar bem no mercado de videogames de Pequim.

Em outro ângulo está Xiaoxiao (Dongyu Zhou), que também é uma garota de uma cidade pequena e procura ser alguém na vida no competitivo mercado da capital, mas é uma moça focada apenas no agora, sem muito foco em grandiosidades futuras.

Dez anos depois de criarem um laço, ambos se reencontram e refletem sobre a conexão que sentem um pelo outro. Com saltos no tempo, a obra exibe alternativas que vão além do ‘felizes para sempre‘ e trata de diversas nuances da vida enquanto um personagem leva reflexões e amadurecimentos ao outro.

O longa é uma excelente pedida para aqueles que desejam apreciar uma produção mais lenta e poética, na qual as principais mensagens estão nas entrelinhas dadas em diálogos e atitudes feitas (tanto quanto as que são deixadas de lado até virarem arrependimentos).

Atenção: existe uma cena após o final dos créditos.

☌ Onde Assistir: Netflix
☌ Duração: 1h59
☌ Lançamento: 2018
☌ Direção: Rene Liu
☌ Elenco: Boran Jing, Dongyu Zhou, Tian Zhuangzhuang
☌ Nacionalidade: China

5. Newness



Em Newness acompanhamos a história de Martin e Gabi, dois jovens que se conhecem num aplicativo. Atingidos pelo tédio somado a falta de diálogo dentro da recém declarada relação, o casal encontra uma solução para resolver seus problemas.

Imediatismo, falta de interesse em manter relações duradouras e constante sensação de tédio são traduzidos na fala de Gabi, interpretada por Laia Costa. “Quando aparece algo novo (newness) eu fico empolgada e me jogo. E logo depois deixo para lá, tipo, não quero mais. Fico entediada, sei lá”.

Newness põe à prova o conceito de relacionamento aberto, evidenciando como as relações amorosas atuais são rápidas, superficiais e estremecidas à toa – muito disto em virtude da popularidade das redes sociais e aplicativos como Tinder e Grindr.

Em nenhum momento o filme abandona sua mensagem principal. Desta forma, faz questão de reforçar ideais relacionados a relações abertas, como liberdade acima do domínio, ideal monogâmico.

Contudo, a abertura do relacionamento de Gabi e Martin não acontece da forma esperada. Newness é um filme reflexivo e dramático que mostra a liquidez das relações contemporâneas, sejam elas abertas ou não.

☌ Onde Assistir: Netflix
☌ Duração: 1h 52min
☌ Lançamento: 2017
☌ Direção: Drake Doremus
☌ Elenco: Nicholas Hoult, Laia Costa, Mathew Gray Gubler, Danny Huston, Courtney Eaton
☌ Nacionalidade: Estados Unidos

6. Perdi Meu Corpo



Este romance improvável conta a história de uma mão. Perdi Meu Corpo é uma animação francesa no mínimo inusitada.

Em síntese, uma mão está em busca do seu corpo. Não demora muito até o espectador entender que a mão em questão pertence a Naoufel. Para reencontrá-lo, ela vaga os arredores de Paris, enquanto lembra-se de sua vida.

O filme é dividido em três momentos: a infância de Naoufel, a vida adulta e a jornada da mão em busca de seu corpo. Na fase adulta, somos apresentados ao jovem e sua paixão incerta, Gabrielle. Neste momento, reflexões sobre solidão e amor ganham espaço.

Assim, a fase adulta um dos momentos mais tocantes e românticos da história. Naoufel vai atrás de Gabrielle a todo momento, querendo a qualquer custo, fazer com que a mulher note-o, quase como um romance adolescente.

Perdi Meu Corpo fala sobre se reencontrar, de uma forma muito criativa, ambiciosa e não convencional. O filme foi premiado em Cannes e indicado ao Oscar de 2020.

☌ Onde Assistir: Netflix
☌ Duração: 1h21min
☌ Lançamento: 2019
☌ Direção: Jérémy Clapin
☌ Elenco: Dev Patel, Victoire Du Bois, Patrick d’Assumçao
☌ Nacionalidade: França

7. Nossas noites




Uma viúva solitária tenta se conectar com seu vizinho de décadas após ele também perder a esposa. Os dois moraram lado a lado por anos e quase não se conheceram – agora, na velhice, começam a estabelecer uma conexão e descobrir uma química perfeita.

A produção trata de recomeços, reconstruções e de formas para enxergar uma nova vida após a construção completa de uma outra. Não é uma obra para quem busca grandes reviravoltas, porque é na sutileza e simplicidade que o filme ganha.

Para quem está caçando conforto e algo coisa calma para assistir, o longa sensível é a pedida ideal. Ele mostra o quanto amor deve ser sinônimo de paz e o quanto intensidade não necessariamente é sinônimo de algo que descabela e causa algum tipo de grande montanha-russa.

☌ Onde Assistir: Netflix
☌ Duração: 1h43min
☌ Lançamento: 2017
☌ Direção: Ritesh Batra
☌ Elenco: Robert Redford, Jane Fonda, Bruce Dern
☌ Nacionalidade: EUA

8. Brooklyn

<">

Brooklyn estreou no Festival Sundance de 2015 e foi um sucesso imediato entre a crítica especializada e público geral.

Inspirado no livro de Colm Tóibín de mesmo nome, o longa se passa na década de 1950 e conta a história de Eilis Lacey, jovem que mora com a irmã e mãe numa pequena cidade irlandesa.

Eilis muda-se para Brooklyn, nos Estados Unidos, a fim de realizar seus sonhos na terra das oportunidades, bem como muitos outros imigrantes; enquanto a Europa vivia um momento pós-guerra. Lá, ela se apaixona pelo bombeiro italiano Tony. Mas, subitamente Eilis volta à Irlanda e, assim sua vida se divide entre dois países, entre o amor e o dever.

Brooklyn é um filme simples, com uma trama bem construída e envolvente, sobretudo devido a grande atuação de Saoirse Ronan no papel de uma mulher fora dos estereótipos cinematográficos.

De tal maneira, o longa concorreu ao Oscar em 2016 nas categorias Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Atriz; levou o prêmio BAFTA como Melhor Filme Britânico e outros seis prêmios importantes.

O longa é o menos focado no romance desta lista, mas não deixa de trazer grandes reflexões sobre ele, principalmente para quem quer lembrar da força do amor-próprio.

☌ Onde Assistir: Netflix
☌ Duração: 1h53min
☌ Lançamento: 2016
☌ Direção: John Crowley
☌ Elenco: Saoirse Ronan, Domhnall Gleeson, Emory Cohen, Julie Walters, Jim Broadbent, Emily Bett Rickards, Jessica Paré, Fiona Glascott
☌ Nacionalidade: Irlanda, Reino Unido e Canadá

*Conteúdo divulgado em parceria com o Site NÃO ÓBVIO