Séries

‘Pose’ mescla fechação e crítica social na dose certa

Série sobre o público LGBTQ+ na NY dos anos 1990 disputa o Emmy 2019

Heyder Mustafá* (heyder.mustafa@redebahia.com.br)
- Atualizada em
Certamente você ainda não ouviu falar dessa série, mas te adianto que ela já é considerada uma das mais relevantes e festejadas produções da TV americana nos últimos anos. Original, ácida, inovadora, babadeira, além de bem atuada e dirigida, ‘Pose’ chega ao final da sua segunda temporada nesta semana já com a próxima season confirmada para 2020. O sucesso de crítica e público fez a produção da FX receber seis indicações ao Emmy 2019, incluindo a de Melhor Série de Drama.     
Foto: Divulgação
A história se passa entre o final dos anos 1980 e o começo da década de 1990, em Nova York, e mostra o surgimento dos bailes secretos frequentados por gays, travestis e transexuais numa época de intensa luta por respeito e dignidade. Perfeita na estética, hilária no linguajar e performática até dizer chega, ‘Pose’ não é só glitter, fechação e Madonna. O tempo inteiro a série toca na ferida do preconceito ainda hoje aberta. Os personagens vivem os dilemas da rejeição da família, da busca por emprego, da sempre perigosa vida nas ruas e, claro, do surgimento do HIV.

Com atuações de cair o queixo e um roteiro perfeitamente amarrado, a nova aposta de Ryan Murphy (‘Glee’ e ‘American Horror Story’) é um grito das minorias e um aceno à tão discutida e almejada representatividade no cenário artístico. ‘Pose’ tem o elenco com o maior número de gays e transexuais compondo um seriado em toda a história da TV americana.

Em cada episódio é possível ir da gargalhada, com as situações vividas pelas personagens, à revolta causada pela inacreditável discriminação, às vezes com requintes de crueldade. O sucesso de ‘Pose’ é fruto do amadurecimento da sociedade e da afirmação de uma comunidade que há décadas vem lutando por algo simples, mas extremamente importante: respeito!

 
Heyder Mustafá é jornalista e produtor cultural formado pela UFBA, editor de conteúdo da GFM e Bahia FM, apresentador do Fala Bahia e apaixonado por cinema, literatura e viagens.