TV

Primeiro beijo de Bruna Marquezine na TV, Jui Huang lembra parceria: ‘Muito generosa’

Cena aconteceu em “Negócio da China”, em 2008

Agência O Globo

Se hoje as atenções para a vida amorosa de Bruna Marquezine são tão grandes quanto de seus personagens, há dez anos o público queria saber era como seria o primeiro beijo da atriz em uma novela, aos 13 anos. E aconteceu em “Negócio da China”, da Globo, exibida no horário das seis. O ator Jui Huang, na época com 23 anos, foi o responsável por tirar o “BV” (sigla para a gíria “boca virgem”, utilizada para definir a pessoa que nunca foi beijada) da atriz.

— Foi muito legal, a gente se deu bem de primeira. A Bruna sempre foi muito generosa. Mesmo sendo dez anos mais nova, ela já tinha muito mais experiência em cena que eu. Nós viramos amigos, mas terminou a novela, cada um seguiu a vida para um lado. É normal, nosso mundo se separou — diz Jui, que se surpreendeu ao saber pelo repórter do mais recente término de Bruna e Neymar: — Poxa, super torcia por eles.

Além do primeiro beijo, a novela foi o primeiro papel de Jui Huang na TV. O convite surgiu depois de fazer o filme “Destino”, produzido pela atriz Lucélia Santos. Aprovado nos testes de "Negócio da China", uma semana depois já estava gravando fora do país. Época que dá saudades.

— Eu lembro com muita alegria porque foi o momento que a arte chegou na minha vida. Na época não tinha ideia nem de querer ser ator. As coisas aconteceram muito de surpresa. Dos contatos que ficaram foi mais o Miguel Falabella (autor da novela). Fiz dele uma temporada de “Pé na cova” (em 2016) — relembra.

O ator também esteve na TV em “Lara com Z” (2011), “O brado retumbante” (2012), “O caçador” (2014) e participações em “Malhação” (2012) e “Fina estampa” (2011). No Teatro, integrou o Centro de Pesquisa Teatral - Antunes Filho e encerrou recentemente mais uma temporada do espetáculo “Marguerite, mon amour”, no SESC, em São Paulo. Agora está se preparando para gravar uma série de um serviço de streaming prevista para estrear em 2019.

Enquanto isso, Jui, que é de Taiwan e veio aos dois anos para o Brasil, administra ao lado do irmão um restaurante de comida italiana na capital paulista.

— Não rola piada, mas uma curiosidade do público. No final das contas, a massa veio da China. O italiano só colocou o molho — ri.