Cinema

Quarentena: confira oito filmes emocionantes sobre maternidade para maratonar em casa

Filmes é uma boa opção para passar o tempo no período de distanciamento social

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

Que tal aproveitar a quarentena para maratonar em grande estilo? Filmes tocantes sobre maternidade é uma boa opção para passar o tempo no período de distanciamento social. Pensando nisso, a Vogue separou oito filmes emocionantes sobre família para assistir. Confira: 

1. Distante Nós Vamos (2009)

Os futuros pais Verona (Maya Rudolph) e Burt (John Krasinski) têm três meses para decidir onde criar sua nova família no pungente filme de estrada de Sam Mendes. Partindo de Phoenix a Tucson e Montreal a Miami, eles se reconectam com amigos, parentes e colegas de trabalho enquanto aceitam a transição de trinta e poucos anos incertos para adultos responsáveis. É uma meditação calorosa e melancólica sobre a vida paterna e materna iminente e os medos, frustrações e alegrias que a acompanham.

2. Minhas Mães e Meu Pai (2010)

Duas mães são melhores que uma no charmoso drama familiar de Lisa Cholodenko. Julianne Moore e Annette Bening interpretam Jules e Nic, um casal cujas vidas são destruídas quando seus filhos (Josh Hutcherson e Mia Wasikowska) localizam seu pai biológico (Mark Ruffalo), um doador de esperma que nunca esperava encontrá-los. Há jantares desajeitados, argumentos absurdos e vislumbres de uma crise de meia idade, criando um retrato moderno e fresco do casamento e da maternidade.

3. Boyhood: Da Infância à Juventude (2014)

A transformação magistral de Patricia Arquette numa mãe solteira divorciada na saga sobre a maioridade de Richard Linklater - filmada há 12 anos - lhe rendeu um Oscar, um Globo de Ouro e o respeito da indústria. Ela é o foco do filme como Olivia, uma mulher que cria seu filho Mason (Ellar Coltrane) e filha Samantha (Lorelei Linklater) contra todas as expectativas. Completando a educação formal já adulta, passando por problemas financeiros e um relacionamento abusivo, ela nunca finge ter todas as respostas, mas persiste, independentemente.

4. Mulheres do Século 20 (2016)

Impressionante e sugestivo, o relato semi-autobiográfico de Mike Mills sobre crescer na década de 1970 é uma carta de amor à sua mãe boêmia. Annette Bening é Dorothea, uma versão fictícia dela, que administra uma pensão habitada por personagens ecléticos: uma fotógrafa (Greta Gerwig), uma adolescente de espírito livre (Elle Fanning) e Jamie (Lucas Jade Zumann), filho de Dorothea. Ele é criado por essas mulheres extraordinárias - moldadas por seu feminismo e iludidas por suas contradições.  

5. Lion - Uma Jornada para Casa (2016)

A história verdadeira de um garoto de cinco anos que se perde em uma estação de trem na Índia é adaptada com cuidado no drama triste de Garth Davis. Saroo, interpretado primeiramente por Sunny Pawar e mais tarde por Dev Patel, é levado para um orfanato e rapidamente adotado por um casal australiano (Nicole Kidman e David Wenham). Anos depois, ele decide encontrar sua mãe biológica e a cidade natal que deixou para trás. Isso provoca um final emocionante e traz consigo a percepção de que nossos pais são preciosos, sejam genéticos ou adotivos.

6. Lady Bird: A Hora de Voar (2017)

Desde as tensas viagens de compras até as lutas escandalosas no carro, Lady Bird (Saoirse Ronan) e sua mãe, Marion (Laurie Metcalf), têm um relacionamento difícil, mas que é vinculado por amor e admiração mútuos. Ele forma o coração da sublime comédia de Greta Gerwig, que acompanha o último ano do ensino médio de Lady Bird e é marcada por vinhetas com suas atividades favoritas como mãe e filha: chorando após ouvir audiolivros, vendo casas que elas nunca teriam condições de pagar e explorando a ensolarada cidade de Sacramento.

7. Tully (2018)

Noites sem dormir, dias solitários e psicose pós-parto transformam-se numa norma para Marlo (Charlize Theron), mãe de três filhos, até conhecer Tully (Mackenzie Davis), uma babá que muda a vida dela. O drama incisivo de Jason Reitman marca sua terceira colaboração com o escritor Diablo Cody (Juno, Jovens Adultos) e tem o humor ácido de seus antecessores. É brutalmente honesto sobre as dificuldades da nova maternidade e disseca as expectativas sociais que Marlo enfrenta e, finalmente, supera.

8. A despedida (2019)

A atuação extraordinária de Awkwafina justifica a comédia agridoce de Lulu Wang sobre uma família em crise. Ela interpreta Billi, uma escritora que viaja para a China para ver sua avó (Zhao Shuzhen) depois que ela é diagnosticada com câncer terminal. As notícias são mantidas em segredo pela própria matriarca e um casamento improvisado é organizado como uma desculpa para reunir o clã antes da morte dela. Recheado de observações perspicazes, o filme vai fazer você querer ligar para sua mãe (e avó), imediatamente.