Séries

Série 'Ligações Perigosas' começa hoje com jogos de sedução; conheça personagens

Baseada no clássico francês escrito no século XVIII , a trama vai ao ar de segunda a sexta e se passa nos anos 1920

Laura Fernandes e agências (laura.fernandes@redebahia.com.br)

Jogos de sedução e manipulação estarão no ar a partir desta segunda-feira (4), às 22h15, na nova minissérie Ligações Perigosas, na Globo/TV Bahia. Baseada no clássico francês escrito no século XVIII por Choderlos de Laclos (1741- 1803), a trama de Manuela Dias vai ao ar de segunda a sexta e se passa em Vila Nova, cidade portuária em plena efervescência nos anos 1920.

A atriz Patricia Pillar interpreta Isabel d’Ávila de Alencar, uma mulher à frente do seu tempo. Viúva desde os 18 anos, Isabel mora sozinha em um palacete decorado com obras de arte e móveis de design contemporâneo. Elegante e inteligente, a poderosa  frequenta e promover os melhores eventos sociais.

No capítulo de estreia, por exemplo, Isabel chega deslumbrante no teatro de Vila Nova, onde a alta sociedade está reunida para acompanhar a exibição do filme Nosferatu. Antes do início da sessão, Isabel recebe homenagem por promover a primeira sessão de cinema da cidade e é aplaudida de pé pelos convidados.

Todos comparecem, inclusive Cecília (Alice Wegmann), que mora em um internato há sete anos, mas saiu para participar da noite tão especial para a prima de sua mãe. Outro que marca presença no evento é o bon vivant Augusto de Valmont (Selton Mello), um homem sedutor que é amante de Isabel e, ao mesmo tempo, de outras mulheres.

Enquanto Augusto - com quem Isabel mantém uma relação perversa e manipuladora - e Heitor Damasceno (Leopoldo Pacheco) olham para a anfitriã com admiração, Iolanda (Lavínia Pannunzio), mãe de Cecília, sente inveja da prima durante a homenagem que recebe no teatro.

Tudo vai bem, até que Isabel descobre que seu amante, Heitor, está encantado por Cecília e logo pede a filha de Iolanda em noivado. Para se vingar, Isabel pede que seu cúmplice Augusto seduza a filha de sua prima, para que ela se entregue ao bon vivant antes do casamento.