Música

Show em homenagem aos 100 anos do samba leva multidão para o Comércio

Em pouco mais de duas horas de evento, a plateia se entregou à energia do ritmo criado na Bahia e dançou, mesmo sob ameaça de chuva

Amanda Palma (amanda.palma@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Os 100 anos do samba foram comemorados com muito estilo no projeto Nivea Viva o Samba, que aconteceu ontem, na Praça Cayru, com o Elevador Lacerda e uma  multidão como testemunhas. De chapéu panamá e com  pandeiros nas mãos, o público acompanhou clássicos interpretados por Alcione, Roberta Sá, Diogo Nogueira e Martinho da Vila.

Diogo Nogueira, Alcione, Roberta Sá e Martinho da Vila unidos na Praça Cayru, ontem, no Nivea Viva o Samba (Foto: Betto Jr)


Em pouco mais de duas horas de evento, a plateia se entregou à energia do ritmo criado na Bahia e dançou, mesmo sob ameaça de chuva, disputando espaço com as poças de lama que se acumularam na rua.


"O samba é mais que música, a gente conversa através dele", descreveu Diogo Nogueira, que, homenageou o pai, João Nogueira (1941-2000), interpretando Além do Espelho. Ele fez dupla com Roberta Sá para cantar Com que Roupa Eu Vou, de Noel Rosa (1910-1937).


Já Alcione, que amanhã recebe o título de cidadã soteropolitana na Câmara Municipal, fez a multidão cantar Ébano e se emocionou quando interpretou O Mundo é um Moinho, de Cartola (1908-1980). “É uma honra poder estar aqui. A Bahia me trouxe muitas coisas boas”, disse a Marrom. Roberta Sá puxou O Que É o Que É, de Gonzaguinha (1945-1991) e fez coro com Alcione e Martinho da Vila.


Matéria original: Correio24h

Show em homenagem aos 100 anos do samba leva multidão para o Comércio