TV

Solidariedade entre números musicais: Criança Esperança arrecada mais de R$ 18 milhões

festa, que começou com Sandy e Junior, por volta das 22h30, terminou já na madrugada de terça

Agência O Globo
- Atualizada em

Uma noite multidisciplinar, em que música, jornalismo, política e solidariedade se uniram em prol das crianças. A trigésima quarta edição do show do Criança Esperança , na noite desta segunda-feira, nos Estúdios Globo, na Zona Oeste do Rio, reuniu artistas, jornalistas e celebridades para ajudar instituições que educam e acolhem crianças pelo Brasil. A festa, que começou com Sandy e Junior cantando seu sucesso "Vâmu pulá!", por volta das 22h30m, terminou já na madrugada de terça-feira, com pulos de alegria e sensação de dever cumprido, após a confirmação da arrecadação de mais de R$ 18 milhões (as doações por telefone seguem até o dia 25 de agosto, e o site recebe contribuições ininterruptamente).

Foto: Paulo Belote/TV Globo

Astros da TV como as atrizes Tatá Werneck e Agatha Moreira, o ator Tony Ramos e o jornalista Caco Barcellos atendiam aos telefonemas dos doadores, de todo o Brasil, e interagiam com apresentadores como Sandra Annenberg, Fernanda Gentil e Flávio Canto na festa exibida ao vivo pela TV Globo.

Foto: Paulo Belote/TV Globo

Os números musicais começaram com a dupla Sandy e Junior, em plena turnê nacional, agitando o público com "Vâmu pulá!". Logo se estabeleceu uma dinâmica, que mostrava, com agilidade, a movimentação nos telefones, a apresentação das instituições beneficiadas — em vídeos que contavam as visitas de artistas e jornalistas da TV a elas, em lugares diversos do Brasil —, e textos que tratavam de questões como o racismo e as fake news, além da educação, principal motivação da campanha, personificada pela homenagem de Renato Aragão aos professores.

Foto: Paulo Belote/TV Globo

— Minha mãe, Dinorah Aragão, era professora em Sobral, no Ceará, minha cidade natal - disse o trapalhão, principal nome do Criança Esperança nos 34 anos do projeto. — Hoje ela é nome de escola lá, uma referência na educação, além de na família.

Foto: Paulo Belote/TV Globo

Os números musicais foram quase sempre em duplas, algumas inusitadas, como Anitta e Gilberto Gil, ao som de "Palco", clássico do baiano, e Michel Teló e Elba Ramalho, que foram buscar "Bate coração" no repertório da cantora paraibana. Ivete Sangalo ("Eu apenas queria que você soubesse", de Gonzaguinha, com a letra adaptada para o universo infantil) e Luan Santana ("Além do horizonte", de Roberto Carlos) foram dos raros artistas a se apresentar sozinhos.

Foto: Paulo Belote/TV Globo

Apesar de toda a alegria, o show teve seus momentos sérios, como nos protestos contra o racismo e as fake news. Neste último, a apresentadora Fernanda Gentil contou, com o auxílio do vídeo, como foi espalhada a notícia falsa de sua demissão da TV Globo, que logo atingiu milhões de pessoas, sendo finalmente desmentida por ela, ao vivo. O tema levou ao dueto de Jennifer com Tiago Abravanel ao som de "Pega na mentira", de Erasmo Carlos, com a letra atualizada.

Foto: Paulo Belote/TV Globo

O momento político gerou um dos melhores números musicais da noite, quando IZA cantou "Roda viva", de Chico Buarque, com intervenções em rap de Karol Conká. Depois que Lulu Santos e Buchecha lembraram que não há tempo que volte, ao som da eterna "Tempos modernos", Thiaguinho e Péricles encerraram a noite em ritmo de samba, com "O show tem que continuar".