Música

Tayrone lança quinto DVD, O Choro É Livre, com 21 canções inéditas

Trabalho, gravado em Salvador, no ano passado, reúne canções românticas e conta comparticipações especiais de Wesley Safadão e Belo

Marina Montenegro (marina.montenegro@redebahia.com.br)

O arrocha, gênero musical que surgiu na cidade de Candeias, a 51 km de Salvador, tem conquistado fãs em todo o território nacional. Um dos nomes responsáveis pela ascensão do ritmo é o cantor baiano Tayrone, 29 anos, que lança hoje seu quinto DVD, O Choro É Livre,  encartado no jornal 'CORREIO' com 90 mil cópias.

O músico começou a carreira há 11 anos e já tem  nove discos lançados. Tayrone comemora a boa fase da carreira: “Estamos fazendo cerca de 20 shows por mês”, conta o artista. O DVD conta com 21 canções inéditas, lançadas ano passado no álbum homônimo, além da releitura de Sofrência, música de Cristiano Araújo (1986-2015). 

Foto: Felipe Souto Maior / Divulgação

Entre as novas estão  Tá na Sofrência, Sabonete de Motel, Casado Só No Papel, Maltrata, além do hit Alô Porteiro. O projeto também está disponível para download gratuito na página oficial do artista.

Para Tayrone, o diferencial de seu trabalho é acrescentar elementos do sertanejo ao arrocha. “Desde pequeno, escuto muito sertanejo.  Zezé di Camargo & Luciano, Chitãozinho & Xororó e Bruno & Marrone eram alguns dos artistas que ouvia. E aí pensei em misturar o arrocha e o sertanejo. Nosso estilo é romântico e apaixonado”, comenta, aos risos.

A expectativa para o novo trabalho é grande: “Acho que quem não ouviu, ainda, agora vai escutar. Depois que sair no CORREIO acho que vai ser um estouro no Nordeste. Espero que quem ainda não curtiu passe a curtir”, conta, esperançoso.

Parque de Exposições

A gravação do DVD aconteceu no Parque de Exposições, em outubro do ano passado, e contou com grande estrutura envolvendo painéis de LED e 400 profissionais. 

“Meu sonho sempre foi gravar um DVD em Salvador. Já tinha gravado em Pernambuco, em Sergipe, na Paraíba, mas ainda não tinha conseguido fazer o evento na capital baiana. Foi uma megaestrutura, fiquei muito feliz. No dia da gravação tinha mais de 50 mil pessoas”, recorda Tayrone, que recentemente abandonou o Cigano do sobrenome artístico. 

“Demos uma repaginada no trabalho. Como eu já sou cigano, acho que não era necessário. Meus pais são ciganos e tenho muito orgulho de minha família. Apenas Tayrone é mais prático”, revela. 

O disco conta  com participações especiais de Wesley Safadão, na música Bipolar, e do cantor Belo, em Esse Tal de Amor Dói. “É um prazer muito grande pra mim. Eles me acompanham e conhecem meu trabalho”, diz.

Tayrone também adianta seus planos para a promoção do DVD durante os festejos juninos. “A ideia é divulgar bastante, tocar e não parar. O arrocha não tem data para tocar.  Quero fazer belíssimos shows, e colocar um pouco de forró no repertório, um pouco de Safadão, um pouco de Aviões. O povo gosta e a gente toca”, afirma.