TV

'The Voice Kids' promete tom emotivo em nova edição

Atração comandada por time de jurados formado por Claudia Leitte, Carlinhos Brown e Simone & Simaria volta ao ar com histórias comoventes

Naiara Andrade, da Agência O Globo

Novas crianças, novas famílias, novos sonhos, novas esperanças. A quinta temporada do “The voice kids” estreia às 12h45 deste domingo, na Globo, com o mesmo time de técnicos (Claudia Leitte, Carlinhos Brown e Simone & Simaria) e apresentadores (André Marques e Thalita Rebouças) da última edição, mas renova no cenário e no elenco de dezenas de astros e estrelas mirins, que prometem, como sempre, arrancar lágrimas de quem assisti-los de perto e de casa.

— Eu penso: “Não vou chorar, já estou ‘profissa’”, mas não me aguento com tanta fofura. Nas gravações das audições às cegas, disse que ia ao banheiro, deixei as lágrimas rolarem e voltei. Aqui a gente é surpreendido em todo programa, é uma caixinha de surpresa e de amor — conta André Marques, revelando: — Nesta edição, temos uma criança que se inscreveu cinco vezes e só entrou agora. Tem outra que passou mal no dia da apresentação e voltou para cantar. Tem aquela que nunca viajou de avião e que sonhava conhecer a televisão... É sempre uma nova emoção, ninguém é igual.

Foto: TV Globo/Divulgação

Veterano da atração (ele faz parte desde a primeira edição), Brown endossa: — O talento de cada criança sempre trará uma inovação, é nela que está o novo. Podem repetir o repertório, mas quando a criança entra, nela há uma pureza e uma falta de vícios. E a atenção da família, o desejo de descobrir se o filho é artista? A gente fica ouvindo e vendo tudo, maravilhado.

De volta à música e à TV quatro meses depois de dar à luz Bela, sua terceira filha, Claudia Leitte afirma que “tem um negócio especial acontecendo” nesta edição do reality: — Não sei se sou eu, se é o prisma do meu novo momento de maternidade ou se é porque o programa está ainda mais lindo e estamos cada vez mais à vontade, mas o fato é que está sendo incrível. Por ser mãe, fica mais fácil lidar com os pequenos. Todos nós, técnicos, somos mães e pai e temos essa sensibilidade.

Entre as irmãs Simone & Simaria, a primeira se confessa mais durona, enquanto a outra se autoproclama “um lixo, de tão mole”. — Eu me vejo nessas crianças... Quando comecei a cantar, tinha 7 anos. Muito candidato vive exatamente o que vivi em algum momento. Teve uma aqui que engasgou e perdeu a voz, e eu me vi nela: às vezes, ficava tão nervosa que acontecia isso, mas as pessoas ficavam com pena e me ajudavam, aí eu acabava passando nos testes — lembra Simaria.

Compartilhar do mesmo botão de aprovação e da virada de cadeira acaba se tornando uma disputa interna. — É muito difícil. Eu sou a mais “cricri” da dupla na escolha do time. Simaria, coração mole, diz “Bora!”, e eu digo “Não, vamos ouvir até o final”. Não é por maldade... Lá atrás, eu passei por isso e foi muito especial para mim, porque com os “nãos” eu pude ir em busca do que sempre desejei na minha vida para estar onde estou. Quando pequena, as pessoas diziam que eu atrapalhava Simaria. Hoje, embora os vocais sejam bem divididos na dupla, nos álbuns eu canto um pouquinho mais que ela. Eu corri atrás pra melhorar — entrega Simone, completando: — É muito lindo ver uma criança sorrir, mas é muito mais lindo ensiná-la a ser forte, a lidar bem com os “nãos” da vida.

Para essas horas difíceis da reprovação, Thalita Rebouças está a postos nos bastidores, dando um apoio moral e carinho ao eliminado: — Eu me sinto meio mãe ali, sabia? Cada pai, cada mãe que segura na minha mão é muito importante. É como se eu fosse parte da família, sofro junto. Algumas crianças até já me zoaram por estar chorando… (risos). Esse programa é mágico!