Cinema

Vai investir em filmes no feriadão? Cineasta dá sugestões ao iBahia

Cineasta baiana Ceci Alves selecionou longas para "maratonar" nos dias livres. Tem filmes clássicos e até opção que ainda está no cinema

Lívia Oliveira* (livia.oliveira@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Está sem grana e não quer deixar de curtir o feriadão? Uma boa opção é utilizar o tempo livre para fazer maratona de filmes. Seja sozinho ou acompanhado, assistir a um longa-metragem é uma forma de "viajar" para uma outra realidade sem sair do lugar.

'Viva', 'Casablanca' e 'Uma Mulher Fantástica' são algumas das opções

Para te ajudar a escolher os filmes, o iBahia conversou com a cineasta baiana Ceci Alves, que selecionou 9 longas imperdíveis do cinema internacional e nacional. Ela ainda lembrou a importância do cinema: "O cinema é capaz de mudar as realidades de mundo.  Alguns dos filmes que escolhi marcaram a minha vida", pontuou.

Vem dançar comigo - direção de Baz Luhrmann
Gênero: Comédia / Drama e Romance
Sinopse: Scott Hastings (Paul Mercurio) é um ótimo dançarino e também um campeão da dança de salão. Porém, para total desagrado da comunidade da dança de salão na Austrália, que é controlada por Barry Fife (Bill Hunter), o presidente da federação, Scott decidiu sair do convencional e criar seus próprios passos, ao invés de dançar uma coreografia que foi criada por outra pessoa. Fran (Tara Morice) é uma dançarina iniciante, que tem a audácia de pedir para ser a parceira de Scott, pois ele perdeu sua parceira, Liz Holt (Gia Carides), que ficou irritada com ele quando Scott, no meio de um concurso, executou passos considerados "espalhafatosos". No início ele reluta, mas acaba aceitando Fran como sua parceira para disputar o Pan Pacific, o mais importante torneio de dança de salão. Ambos sabem que provavelmente não irão vencer, mas o mais importante é eles criarem novos passos.

Opinião da cineasta: "Esse filme marcou a minha vida, primeiro pela moral do filme de que você deve lutar pelo que quer, segundo por ser um musical e ter uma linguagem fragmentada (estratégia que uso na minha cinematografia) e também por ser um filme regional que consegue transformar as coisas em algo local, que toca em você mesmo não sendo da sua realidade". Ela ainda acrescentou que esse filme contribuiu na sua escolha para estudar cinema.

Deus e o Diabo na Terra do Sol - Glauber Rocha
Gênero: Aventura / Crime
Sinopse: Manuel (Geraldo Del Rey) é um vaqueiro que se revolta contra a exploração imposta pelo coronel Moraes (Mílton Roda) e acaba matando-o numa briga. Ele passa a ser perseguido por jagunços, o que faz com que fuja com sua esposa Rosa (Yoná Magalhães). O casal se junta aos seguidores do beato Sebastião (Lídio Silva), que promete o fim do sofrimento através do retorno a um catolicismo místico e ritual. Porém ao presenciar a morte de uma criança Rosa mata o beato. Simultaneamente Antônio das Mortes (Maurício do Valle), um matador de aluguel a serviço da Igreja Católica e dos latifundiários da região, extermina os seguidores do beato.

Opinião da cineasta: "Esse longa, cujo a estética é baseada na literatura de cordel, redefiniu a linguagem cinematográfica mundial, toda baseada na linguagem de cordel. A gente tem que assistir esse filme com um olhar de admiração, porque ele transforma nossa linguagem em algo universal".

Casablanca -  direção de Michael Curtiz
Gênero: Romance / Drama
Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, muitos fugitivos tentavam escapar dos nazistas por uma rota que passava pela cidade de Casablanca. O exilado americano Rick Blaine (Humphrey Bogart) encontrou refúgio na cidade, dirigindo uma das principais casas noturnas da região. Clandestinamente, tentando despistar o Capitão Renault (Claude Rains), ele ajuda refugiados, possibilitando que eles fujam para os Estados Unidos. Quando um casal pede sua ajuda para deixar o país, ele reencontra uma grande paixão do passado, a bela Ilsa (Ingrid Bergman). Este amor vai encontrar uma nova vida e eles vão lutar para fugir juntos.

Opinião da cineasta: "É o meu filme preferido, por causa da história, do contexto e pelo fato de eu ser uma romântica incorrigível".

Me Chame Pelo seu Nome  - direção de Luca Guadagnino
Gênero: Drama/ Romance
Sinopse: O sensível e único filho da família americana com ascendência italiana e francesa Perlman, Elio (Timothée Chalamet), está enfrentando outro verão preguiçoso na casa de seus pais na bela e lânguida paisagem italiana. Mas tudo muda quando Oliver (Armie Hammer), um acadêmico que veio ajudar a pesquisa de seu pai, chega.

Opinião da cineasta: "É um filme lindo, que traz uma história de amor e levanta as questões LGBTs. As pessoas precisam ver para abrir a cabeça para esses assuntos".

Uma Mulher Fantástica - direção de Sebastián Lelio
Gênero: Drama
Sinopse: Marina (Daniela Vega) é uma garçonete transexual que passa boa parte dos seus  dias buscando seu sustento. Seu verdadeiro sonho é ser uma cantora de sucesso e, para isso, canta durante a noite em diversos clubes de sua cidade. O problema é que, após a inesperada morte de Orlando (Francisco Reyes), seu namorado e maior companheiro, sua vida dá uma guinada total.

Opinião da cineasta: "É um filme de militância sobre um tema que precisa ser naturalizado pelas pessoas, que é a questão trans. O longa tem a primeira transexual a ganhar o Oscar, o que vem para romper barreiras e preconceitos".

Milk - A voz da igualdade - direção de Gus Van Sant
Gênero: Biografia
Sinopse: Início dos anos 70. Harvey Milk (Sean Penn) é um nova-iorquino que, para mudar de vida, decidiu morar com seu namorado Scott (James Franco) em San Francisco, onde abriram uma pequena loja de revelação fotográfica. Disposto a enfrentar a violência e o preconceito da época, Milk busca direitos iguais e oportunidades para todos, sem discriminação sexual. Com a colaboração de amigos e voluntários (não necessariamente homossexuais), Milk entra numa intensa batalha política e consegue ser eleito para o Quadro de Supervisor da cidade de San Francisco em 1977, tornando-se o primeiro gay assumido a alcançar um cargo público de importância nos Estados Unidos.

Opinião da cineasta:  "É também um filme de militância, que conta a história do primeiro político norte-americano a lutar pelos direitos LGBTs na década de 70".

O Poderoso Chefão -  direção de Francis Ford Coppola
Gênero:  Policial / Drama
Sinopse: Don Vito Corleone (Marlon Brando) é o chefe de uma "família" de Nova York que está feliz, pois Connie (Talia Shire), sua filha, se casou com Carlo (Gianni Russo). Porém, durante a festa, Bonasera (Salvatore Corsitto) é visto no escritório de Don Corleone pedindo "justiça", vingança na verdade contra membros de uma quadrilha, que espancaram barbaramente sua filha por ela ter se recusado a fazer sexo para preservar a honra. Vito discute, mas os argumentos de Bonasera o sensibilizam e ele promete que os homens, que maltrataram a filha de Bonasera não serão mortos, pois ela também não foi, mas serão severamente castigados. Vito porém deixa claro que ele pode chamar Bonasera algum dia para devolver o "favor".

Opinião da cineasta: "É um filme clássico e fantástico. Ele é uma adaptação de um livro e eu acredito que a produção cinematográfica chega a ser melhor que o livro".

Viva - direção de Paddy Breathnach
Gênero: Drama
Sinopse: Jesus (Héctor Medina) é um garoto cubano de 18 anos tentando descobrir sua identidade. Incerto sobre o seu futuro, ele faz a maquiagem em um clube de drag queens de Havana onde sonha em ser um performer. Quando finalmente tem a chance de subir no palco, ele é agredido pelo pai, Angel (Jorge Perugorría), um ex-boxeador ausente da sua vida por 15 anos após ter sido preso. Perante o conflito entre os dois, eles lutam para entender um ao outro.

Jesus (Héctor Medina) é um garoto cubano de  18 anos tentando descobrir sua identidade. Incerto sobre o seu futuro, ele faz a maquiagem em um clube de drag queens de Havana onde sonha em ser um performer. Quando finalmente tem a chance de subir no palco, ele é agredido pelo pai, Angel (Jorge Perugorría), um ex-boxeador ausente da sua vida por 15 anos após ter sido preso. Perante o conflito entre os dois, eles lutam para entender um ao outro.

Opinião da cineasta: "É uma produção latino-americana, que conta a história de um menino que se encanta pelo universo virar travestir e começa a apostar nele como uma forma de vida. Tudo isso no período de embargo à Cuba, no qual as pessoas tiveram que aprender a conviver com a penúria. O personagem principal tem uma relação muito dura e tortuosa com o pai, e o final dos dois é bem tocante".

O Segredo dos seus Olhos - direção Juan José Campanella
Gênero: Drama
Sinopse:  Benjamin Esposito (Ricardo Darín) se aposentou recentemente do cargo de oficial de justiça de um tribunal penal. Com bastante tempo livre, ele agora se dedica a escrever um livro. Benjamin usa sua experiência para contar uma história trágica, a qual foi testemunha em 1974. Na época o Departamento de Justiça onde trabalhava foi designado para investigar o estupro e consequente assassinato de uma bela jovem. É desta forma que Benjamin conhece Ricardo Morales (Pablo Rago), marido da falecida, a quem promete ajudar a encontrar o culpado. Para tanto ele conta com a ajuda de Pablo Sandoval (Guillermo Francella), seu grande amigo, e com Irene Menéndez Hastings (Soledad Villamil), sua chefe imediata, por quem nutre uma paixão secreta.

Opinião da cineasta: "É um filme que tem que ser visto e revisto pela engenhosidade da produção. O diretor consegue aliar as questões sociais e históricas argentinas à uma nova abordagem cinematográfica, de forma a tocar as pessoas e empatizar o público com os personagens".

*Sob supervisão do editor-chefe Rafael Sena