Turismo

Vai viajar sozinho? Conheça os aplicativos que conectam turistas

No Brasil, plataforma pretende unir pessoas que visitam Salvador

Eduardo Maia, da Agência O Globo

Alguém puxa o celular do bolso, abre o aplicativo e começa a navegar pelos perfis que surgem na telinha. Após rápida pesquisa, seleciona aquele que mais lhe interessa. Se o outro usuário corresponder, a conversa pode, enfim, começar. A dinâmica, semelhante às plataformas digitais de encontros, chegou aos apps de viagem, com uma série de opções para aqueles que pretendem se conectar com outras pessoas que estejam visitando o mesmo destino, embarcadas no mesmo avião ou que queiram fazer os mesmos passeios. A lógica do Tinder chegou ao turismo.

No Brasil, um exemplo novinho em folha é o Vou Pra Salvador, aplicativo que pretende juntar viajantes em Salvador de acordo com seus interesses em comum. Lançado em 26 de janeiro, o programa está disponível de graça para os sistemas Android e iOS.

Depois de cadastrar seu nome e outros dados, o usuário seleciona uma data em que estará na cidade, entre três categorias: réveillon, carnaval e férias (com datas variadas). Depois escolhe sua "galera", ou seja, com quem deseja se encontrar: homens, mulheres, casais, famílias, grupos de amigos etc. Também é possível marcar os interesses turísticos, como cultura, praia, gastronomia e festas. Durante datas especiais, há ainda campos dedicados a eventos específicos. No caso do carnaval, é possível marcar camarotes e blocos, ou até mesmo dizer se vai na pipoca ou se está sem programação.

Reprodução de uma tela do aplicativo Vou Pra Salvador. (Foto: Reprodução)

Só quando esse banco de dados estiver completo, começa a navegação pelos perfis. Quando o usuário encontra um perfil que considera compatível, o seleciona. Se a resposta do outro lado for a mesma, "deu Axé", o termo usado para dar um tempero baiano ao célebre "match". A partir daí o campo de conversa é aberto e os dois viajantes poderão marcar de pegar uma praia ou conhecer uma igreja barroca no Pelourinho, por exemplo.

"Frequento o carnaval de Salvador há muitos anos, e sempre ouvia as histórias de pessoas que tinham dificuldade de encontrar outros turistas com interesses semelhantes. Juntei isso com algumas pesquisas que mostravam o aumento do número de pessoas viajando sozinhas, e tive a ideia do app", conta Marcelo Dibá, CEO da VPS, startup criada para gerenciar o aplicativo.

Por enquanto o raio de alcance da plataforma está restrito à capital baiana, mas Dibá tem planos de levar seu "Tinder dos viajantes" para outros destinos brasileiros, começando pelas cidades de Rio e São Paulo.

Um 'Facebook da estrada'

Fora do Brasil, há ainda mais ofertas para quem quiser se conectar com outros viajantes à moda do século XXI. Um dos aplicativos mais conhecidos é o Travello , lançado em 2015 e atualmente presente em 180 países, incluindo o Brasil.

Na hora do cadastro, o usuário pode convidar os amigos do Facebook e conectar sua conta no Instagram. Em termos de funcionalidade, aliás, o aplicativo parece uma combinação destas duas redes sociais. Há uma espécie de feed de notícias que é alimentado por dicas, recados, anúncios e fotos publicados por outros usuários.

A diferença é que quem aparece na tela não são apenas pessoas que o viajante não conhece, mas as que estão no mesmo lugar onde ele já está ou planeja ir. É possível encontrar outros turistas, ou mesmo locais, em uma aba onde se pode selecionar os perfis por gênero, idade, nacionalidade ou estilo de viagem. Há ainda campos para grupos de interesse em comum e outros que mostram, no mapa, pontos de wi-fi naquela região.

Trivello está disponível na Google Play e na App Store. Assim como o Ventura , aplicativo que também serve como ferramenta para pessoas se encontrarem em viagens, mas que tem grande foco no contato entre viajantes e locais. E mais: serve de plataforma para que moradores do destino ofereçam passeios guiados, workshops e outras experiências, pelas quais cobram, como no serviço Airbnb Experiences.