Cinema

Veja 10 filmes brasileiros que valem a pena assistir

Entre os longas estão gêneros de comédia, drama e ação

Redação iBahia (agenda@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
Em meio a tantas produções cinematográficas que acontecem no Brasil, o iBahia separou 10 filmes brasileiros que valem a pena assistir. Junte a família, amigos e prepare a pipoca para curtir os longas.


Cidade de Deus - O filme Cidade de Deus, do ano de 2002, é uma obra cinematográfica que fala sobre criminalidade e trafico que existe no Brasil. O filme causou um certo impacto em algumas pessoas, porque trata as situações do crime com muita realidade. Dirigido por Fernando Meirelles e Katia Lund o longa conta a história de Buscapé (Alexandre Rodrigues) é um jovem pobre, negro e muito sensível, que cresce em um universo de muita violência. Buscapé vive na Cidade de Deus, favela carioca conhecida por ser um dos locais mais violentos da cidade. Amedrontado com a possibilidade de se tornar um bandido, Buscapé acaba sendo salvo de seu destino por causa de seu talento como fotógrafo, o qual permite que siga carreira na profissão. É através de seu olhar atrás da câmera que Buscapé analisa o dia-a-dia da favela onde vive, onde a violência aparenta ser infinita.


 
Tropa de Elite – O longa também trata sobre a violência e tráfico de drogas vista agora pelos olhos dos policiais. O filme mostra o ponto de vista de um policial honesto sobre toda a hipocrisia, desonestidade, e podridão que cerca o sistema brasileiro, tanto de policiamento quanto o de tráfico e consumo de drogas. Lançado em 2007 o longa conta o dia-a-dia do grupo de policiais e de um capitão do BOPE (Wagner Moura), que quer deixar a corporação e tenta encontrar um substituto para seu posto. Paralelamente dois amigos de infância se tornam policiais e se destacam pela honestidade e honra ao realizar suas funções, se indignando com a corrupção existente no batalhão em que atuam.


Central do Brasil – Fugindo desta linha explosiva e densa, Central foi um filme que foi muito elogiado por críticos, conquistando vários prêmios, chegando a ser indicado ao Oscar. Dora (Fernanda Montenegro) trabalha escrevendo cartas para analfabetos na estação Central do Brasil, Rio de Janeiro. A escrivã ajuda um menino (Vinícius de Oliveira), após sua mãe ser atropelada, a tentar encontrar o pai que nunca conheceu, no interior do Nordeste.


Dona Flor e seus dois Maridos -  Clássico da literatura brasileira que saiu dos livros diretamente para as telas. Considerado por muitos, uma das maiores adaptações da literatura para o mundo cinematográfico. Dirigido por Bruno Barreto, o filme é retratado na época do carnaval de 1943 na Bahia.  Vadinho (José Wilker), um mulherengo e jogador inveterado, morre repentinamente e sua mulher, Dona Flor (Sônia Braga), fica inconsolável, pois apesar dele ter vários defeitos era um excelente amante. Mas após algum tempo ela se casa com Teodoro Madureira (Mauro Mendonça), um farmacêutico que é exatamente o oposto do primeiro marido. Ela passa a ter uma vida estável e tranqüila, mas tediosa e, de tanto "chamar" pelo primeiro marido, ele um dia aparece nu na sua cama. Então ela pede ajuda a uma amiga, dizendo que quase foi seduzida pelo finado esposo. Um pai de santo se prontifica a afastar o espírito de Vadinho, mas existe um problema: no fundo Flor quer que ele fique, pois há um forte desejo que precisa ser saciado.


Carandiru – Dando sequência a Cidade de Deus, o longa de 2003, mostra de um jeito desumano como sete mil duzentos e cinquenta presidiários viviam no maior presidio da America Latina. Um médico (Luiz Carlos Vasconcelos) se oferece para realizar um trabalho de prevenção a AIDS no maior presídio da América Latina, o Carandiru. Lá ele convive com a realidade atrás das grades, que inclui violência, superlotação das celas e instalações precárias. Porém, apesar de todos os problemas, o médico logo percebe que os prisioneiros não são figuras demoníacas, existindo dentro da prisão solidariedade, organização e uma grande vontade de viver.


O auto da Compadecida –Um dos filmes mais queridos dos brasileiros. O Auto da Compadecida se tornou para muitos como parte da família. Com tons de comédia, a história conta as aventuras dos nordestinos João Grilo (Matheus Natchergaele), um sertanejo pobre e mentiroso, e Chicó (Selton Mello), o mais covarde dos homens. Ambos lutam pelo pão de cada dia e atravessam por vários episódios enganando a todos do pequeno vilarejo de Taperoá, no sertão da Paraíba. A salvação da dupla acontece com a aparição da Nossa Senhora (Fernanda Montenegro). Adaptação da obra de Ariano Suassuna.


 Se Eu Fosse Você – Com gênero voltado para a comédia, o longa mostra de forma bem humorada os problemas de um casal. De como é preciso entender o outro lado da moeda. Cláudio (Tony Ramos) é um publicitário bem sucedido, dono de sua própria agência, que é casado com Helena (Glória Pires), uma professora de música que cuida de um coral infantil. Acostumados com a rotina do dia-a-dia e do casamento de tantos anos, eles volta e meia têm uma discussão. Um dia eles têm uma briga maior do que o normal, que faz com que algo inexplicável aconteça: eles trocam de corpos. Apavorados, Cláudio e Helena tentam aparentar normalidade até que consigam revertar a situação. Porém para tanto eles terão que assumir por completo a vida do outro.


De pernas pro Ar -  Alice (Ingrid Guimarães) já passou dos 30, é casada com João (Bruno Garcia), tem um filho e é uma executiva bem sucedida. Na verdade, ela é uma típica workaholic, que tenta se equilibrar entre a rotina de trabalho e a família, mas perde o emprego e o marido no mesmo dia. É quando ela passa a contar com a ajuda da vizinha Marcela (Maria Paula), que mostra que é possível ser uma profissional de sucesso sem deixar os prazeres da vida de lado. Para isso, Alice vira sócia da nova amiga em um sex shop falido e descobre os prazeres dos sex toys.


Primo Basílio – o longa conta a história de amor entre uma mulher casada e seu primo. No ano de 1958, em São Paulo, Luísa (Débora Falabella) é uma jovem romântica e sonhadora que é casada com Jorge (Reynaldo Gianecchini), um engenheiro que está envolvido na construção de Brasília. Um dia Luísa reencontra Basílio (Fábio Assunção), seu primo e também sua paixão de juventude. Quando Jorge é chamado a trabalho para Brasília, Luísa fica em casa apenas com a companhia das empregadas Juliana (Glória Pires) e Joana (Zezeh Barbosa). Basílio passa a visitá-la frequentemente, conquistando-a com as histórias de suas viagens. Logo as saídas de ambos viram fofoca na vizinhança. Até que Juliana encontra as cartas de amor trocadas entre os primos e, de posse delas, passa a chantagear Luísa para conseguir uma generosa aposentadoria.


Lavoura Arcaica - André (Selton Mello) é um filho desgarrado, que saiu de casa devido à severa lei paterna e o sufocamento da ternura materna. Pedro (Leonardo Medeiros), seu irmão mais velho, recebe de sua mãe a missão de trazê-lo de volta ao lar. Cedendo aos apelos da mãe e de Pedro, André resolve voltar para a casa dos seus pais, mas irá quebrar definitivamente os alicerces da família ao se apaixonar por sua bela irmã Ana (Simone Spoladore).