Turismo

Vida em outro país: como escolher um destino?

Em 2018, 22,4 mil brasileiros entregaram a declaração de saída definitiva do país

Redação Dino

Tentar a vida em outro país tem sido aposta de muitos. Ao menos é o que demonstrou uma pesquisa realizada pela Receita Federal. Em 2018, 22,4 mil brasileiros entregaram a declaração de saída definitiva do país. Número um tanto maior quando comparado a 2017, onde houveram 21,2 mil.

Porém, existe um grande desafio: como escolher um destino para recomeçar? Ainda citando a pesquisa anterior, pode-se notar que, entre as preferências, o Canadá tem destaque - e fica fácil entender o motivo.

Foto: reprodução / Pixabay
Entre as vantagens do país, estão em destaque o programa de imigração simplificado e também o “Express  Entry”, onde o próprio governo garante emprego para estrangeiros. Mas não para por aí. Abaixo, Marilene Quintana, sócia-fundadora do e-Visa Immigration, elenca alguns dos motivos que atraem o recomeço por lá.

Segurança

Vancouver é conhecida por sua segurança. “Recebemos feedbacks muito positivos dos nossos imigrantes nesse sentido. Eles contam que se sentem à vontade para andar na rua sozinhos a qualquer hora, mexendo no celular”, diz Marilene.

Receptividade


É muito comum que estrangeiros sofram preconceitos quando migram e acabem parando em subempregos - mas não funciona assim no Canadá. “Falando da parte corporativa, temos a prova da recepção por meio do governo. Mas é interessante ressaltar que a população corresponde a expectativa de educação e respeito”, aponta Marilene.

Lazer

O Canadá possui uma lista extensa de locais públicos que oferecem opções incríveis de lazer. Entre elas, estão parques, montanhas, praias e até mesmo a oportunidade de esquiar no inverno.

Estudos

O Canadá tem destaque quando o assunto é educação. Do ensino médio ao superior, existem opções renomadas e de fácil acesso, sempre focando na inserção do  mercado de trabalho aquecido do país.

Saúde

Todos os moradores, sejam eles canadenses, residentes temporários ou imigrantes, têm direito e acesso ao serviço de saúde. “O país é completo e oferece suporte em todos os sentidos”, finaliza.