Música

Xuxa faz show para adultos na véspera do feriadão em Salvador

Apresentação da Rainha dos Baixinhos acontece na Arena Fonte Nova

Redação Correio 24h
- Atualizada em

Você foi baixinho  da Xuxa? Mas não é porque agora virou altinho que vai deixar de curtir o show que a apresentadora traz a Salvador nesta quarta-feira, véspera de feriado. E o melhor: não é para crianças mesmo a XuChá, derivação da já festa  itinerante Chá de Alice, que acontece às 21h, na Fonte Nova, com participação de DJs e  drag queens baianas.

Foto: Xuxa Produções | Divulgação

O repertório, porém ainda é o mesmo, com os já clássicos Ilariê, Lua de Cristal, Libera Geral e Arco-íris. E aquela nave que trazia a loura para o palco também estará no cenário, assim como as Paquitas e Paquitos, também se farão presentes no palco da Fonte Nova.  Em entrevista exclusiva ao CORREIO, Xuxa diz que está muito feliz de voltar a se apresentar em Salvador, 14 anos depois. “A alegria da música baiana, tem muito a ver comigo”, diz a artista.

Por que voltar para fazer um show para seus altinhos, o público adulto, e não só mais baixinhos? Como surgiu a ideia do projeto? Por que voltar para fazer shows depois de tanto tempo?

O XuChá surgiu de um convite do Pablo, idealizador da festa Chá da Alice, e acabou virando um carinho incrível no meu coração e um pedido pra que virasse turnê. Fico feliz por receber tanto carinho desse público que cresceu comigo e que faz parte da minha vida e história.

Além das Paquitas e Paquitos, efeitos especiais e a seleção musical nostálgica, o que os fãs podem esperar do show da Xuxa em Salvador? 

 Energia boa do início ao fim. Tem um pouquinho de tudo que vivemos juntos nos anos 80 e 90. Quando chego da nave, a minha visão é de baixinhos emocionados em corpos de adultos. Isso é sem dúvida o melhor do show.

Sete drags queens de Salvador -  Petra Perón, Desirée Beck, Twing, Yanna, Kaysha Kutnner, Sasha Heels e Rainha Loulou - vão realizar o sonho de se tornar paquitas. Como surgiu essa ideia? Por que trazer transformistas para o palco? Além dos figurinos - que são extravagantes e chamativos e lembram muito os das drags queens - você tem algum vínculo com a arte drag?

O XuChá nasceu de uma festa onde todas as pessoas são bem-vindas, O Chá da Alice, e eu não quis separar a festa do show. As drag são incríveis: se maquiam, dançam... São artistas completas! Eu adoro, apesar de não ter nenhum vínculo.

Qual a sua relação com Salvador e com a Bahia? Você tem alguma lembrança de algum momento que viveu aqui?

Nossa... Passei muitos momentos ótimos na Bahia! Os shows foram sempre incríveis, os baianos sempre me receberam com muito amor e carinho, sempre gostei muito das cocadinhas, da comida... E, quando falo da Bahia, me vem logo a Veveta na cabeça, que é uma pessoa muito presente na minha vida. Eu tenho muito carinho amor e respeito por ela, pelo Marcelinho e agora pelas gêmeas que vão vir, enfim... Eu sempre tive e continuo tendo muito, muito carinho pela Bahia. As minhas músicas, que me levaram direto para o coração das pessoas, foram as baianas: Ilariê, Tindolelê, Pinel por você... A alegria da música baiana, tem muito a ver comigo.

Foto: Xuxa Produções | Divulgação

Qual foi o critério para a escolha das músicas que integram o repertório do show?

Foi feita uma pesquisa com os fãs para saber o que eles gostariam de ver e ouvir.