Futebol

Agressor de jogador deixa residência após ameaças: 'Queimaremos sua casa'

Paul Mitchell invadiu campo e socou um jogador durante clássico inglês, no último domingo

Agência O Globo
- Atualizada em

O torcedor que agrediu o meia Jack Grealish, do Aston Villa, no último domingo, vem sofrendo ameaças de morte. Na manhã de hoje, Paul Mitchell, de 27 anos, se admitiu culpado à corte de Birmingham. Segundo o jornal inglês "The Sun", a esposa e o filho do agressor deixaram sua casa por medo das ameaças.

"Mitchell alega que não estava bêbado, estava com seu pai e a agressão foi uma piada. Ele diz que está arrependido", relatou o promotor Jonathan Purser à corte.

Paul vem recebendo ameaças por meio de um bar que mantinha em Warwickshire, em Birmingham. Torcedores ameaçam colocar fogo no local, relata a equipe do estabelecimento.

"Nós recebemos ligações de pessoas fazendo ameaças de morte contra ele. Uma delas disse 'viremos depois do jogo, queimaremos o bar e depois queimaremos sua casa'", contou uma fonte do "The Sun".

No domingo, Mitchell invadiu o gramado do clássico entre Aston Villa e Birmingham — válido pela segunda divisão do Campeonato Inglês — e agrediu Jack Grealish com um soco por trás. O Aston Villa acabou vencendo a partida por 1 a 0, com gol do próprio Grealish.

Em entrevista após a partida jogador manifestou revolta pelo incidente:

"Obviamente, há rivalidade no futebol, mas não há lugar para isso, de verdade. No fim, tentei apenas fazer meu trabalho e acho que consegui".

O Birmingham divulgou um comunicado pedindo desculpas ao Aston Villa e ao jogador. "Nós lamentamos o comportamento do indivíduo que cometeu esse ato e garantimos que ele será banido do St. Andrew's (estádio do clube) para sempre. O clube também apoiará qualquer punição que esse indivíduo possa receber pelos olhos da lei", diz um trecho da mensagem.