Futebol

Antes de Flamengo e Palmeiras, Libertadores já teve outras 3 finais brasileiras; relembre

Final entre clube paulista e carioca acontece neste sábado (27), em Montevidéu, no Uruguai

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Neste sábado (27), quem gosta de futebol já tem um compromisso: a final da Libertadores, entre Palmeiras e Flamengo. Mesmo os brasileiros que não estão diretamente envolvido com o jogo, ou seja, não torcem para nenhum dos times, sabem que a promessa é de uma partida inesquecível, pela importância do título e rivalidade entre os dois clubes.

Mas antes dessa final entre Palmeiras e Flamengo, outras partidas entre brasileiros decidiram a competição mais importante do continente. Foram três jogos, em 2005, 2006 e 2020. Relembre:

2005 - São Paulo x Athletico Paranaense

Em julho de 2005, quando a final ainda era disputada em dois jogos, São Paulo e Athletico Paranaense duelaram pelo título da Libertadores. A primeira partida foi no Beira-Rio, em Porto Alegre, já que a Arena da Baixada não tinha capacidade para receber a final. Após o clube paranaense abrir o placar com Aloísio, o Tricolor paulista empatou a partida com gol contra de Durval.

No jogo da volta o São Paulo goleou o Athletico por 4x0 (gols de Amoroso, Fabão, Luizão e Diego Tardelli) e levantou o caneco do tricampeonato continental.

2006 - Internacional e São Paulo

No ano seguinte, o São Paulo enfrentou o Internacional na final. Na ida, no Morumbi, em São Paulo, o time gaúcho  conseguiu abrir 2x0 com dois gols de Rafael Sóbis e o Tricolor diminuiu aos 30 do segundo tempo com Edcarlos.

No jogo da volta, o Inter abriu o placar. O São Paulo chegou a empatar, mas os gaúchos novamente ficaram na frente. No final, o jogo terminou empatado e o Colorado comemorou seu primeiro título continental.

2020 - Palmeiras x Santos

A final de 2020 foi disputada em janeiro de 2021, por conta da pandemia do novo coronavírus. A final foi disputada entre Palmeiras e Santos, no Macaranã, tendo sido a segunda final única - apenas um jogo e com mando de campo neutro - da história da Libertadores. 

O único gol da partida, que deu o título ao Palmeiras, aconteceu nos acréscimos, quando a fimal ja se encaminhava para a prorrogação sem gols. Rony lançou a bola na área e o atacante Breno Lopes, de cabeça, abriu o placar para o Palmeiras. Foi o segundo título de Libertadores da história do Verdão.